― Advertisement ―

spot_img

Cerveja, vinho e caipirinha de graça: Pomitafro 2024 deve reunir 40 mil pessoas

A tradicional festa Pomitafro, maior festival de integração étnico-cultural da região sudeste, celebra sua 25ª edição nos dias 30 e 31 de agosto e...

Defesa Civil Nacional aponta comunidades como importantes aliadas no enfrentamento a desastres

Comunidades bem-preparadas podem fazer a diferença na gestão de riscos e desastres naturais. Durante o 21º Bate-Papo com a Defesa Civil, realizado nesta quinta-feira (25), especialistas discutiram o papel vital dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (Nupdec), grupos formais compostos por moradores de áreas de vulnerabilidade, que atuam de maneira suplementar ao governo para prevenir e minimizar riscos e desastres.

O debate foi mediado pela coordenadora de Fortalecimento da Defesa Civil Nacional, Loiane Souza, e contou com as participações da pesquisadora e especialista em Nupdec, Rejane Lucena; do mestre em Defesa e Segurança Civil da Defesa Civil de Niterói (RJ), Felipe Reis; e da coordenadora do Núcleo de Defesa Civil Vale do Cuiabá e Adjacentes, Cristina Oliveira.

Durante o encontro, Rejane falou sobre o processo histórico, o conceito, a formação e o porquê da criação de um núcleo na comunidade. “Os Nupdecs representam o elo entre as comunidades e o sistema de proteção e defesa civil. Eles surgiram para desenvolver um processo de engajamento e construção, com a comunidade, de ações de prevenção e proteção, fortalecendo a capacidade das pessoas de enfrentar riscos e desastres no cotidiano”, afirmou. Segundo ela, os núcleos foram regulamentados em 2005, com a publicação do decreto nº. 5.376. “Esse dispositivo trouxe as diretrizes formais para fomentar a criação dos Nupdecs”, informou.

Já Felipe Reis destacou as características que diferenciam os Nupdecs das Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdec). De acordo com ele, a confusão entre os dois é um erro comum entre as pessoas que atuam na pauta. “A atividade do voluntário, segundo a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil, precisa ser suplementar ao das Comdecs. Apesar disso, eles andam de mãos dadas e essa atividade é valiosa. As cidades que contam com os núcleos estão mais bem preparadas para receber o impacto de um evento adverso e retornar à normalidade, tornando-a muito mais resiliente”, defendeu.

Cristina Oliveira enriqueceu o debate trazendo a experiência à frente do Núcleo de Defesa Civil Vale do Cuiabá e Adjacentes. O grupo surgiu em 2012, é formado por 14 mulheres e recebeu um prêmio da Defesa Civil Nacional pela promoção da campanha Aprender para Prevenir. “Enquanto comunidade, precisamos entender e fazer o nosso papel, mas é preciso aprender todos os dias. Então, por meio do Nupdec, promovemos diversas formações para capacitar e sensibilizar os moradores. Quando compreendemos que ‘a defesa civil somos todos nós’, também compreendemos a importância desse trabalho”, explicou.

Capacitação

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos gratuitos<\/a> e a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Uma delas é a Formação e Gestão de Núcleo Comunitário de Proteção e Defesa Civil (Nupdec), composta por três módulos, com carga horária de 30h.

<\/a><\/a><\/a><\/a>

Foto: Divulgação/MIDRFoto: Divulgação/MIDR