― Advertisement ―

spot_img

Soja: produtores já podem se preparar para semeadura

Os agricultores que seguem as recomendações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) — estudo que identifica regiões e épocas de menor risco climático para...

Sudeste levou 206 delegados culturais para participar da 4ª Conferência Nacional de Cultura

Representantes culturais da Região Sudeste marcaram presença na maior Conferência Nacional de Cultura da história do país. Aproximadamente cinco mil pessoas passaram pelo Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. Após uma pausa de dez anos, o Ministério da Cultura realizou a quarta edição com o tema “Democracia e Direito à Cultura”, reunindo mil trezentos e trinta e oito delegados de todo o país, sendo duzentos e seis da Região Sudeste.

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, celebrou a volta do evento:

“Essa é a maior Conferência Nacional de Cultura  já realizada até agora, porque, pelos aspectos de participação, principalmente. tem gente participando de todas as regiões do Brasil, de todas as cidades, pelo menos uma grande maioria das cidades do Brasil estão aqui presentes, com representação da cultura indígena, da cultura cigana acolhendo tudo isso, trazendo os quilombolas para além da cultura urbana, da cultura hip hop, enfim, das culturas todas que já tem.”

Durante a conferência foram aprovadas trinta propostas que vão fundamentar as diretrizes do novo Plano Nacional de Cultura e nortearão as iniciativas para criação de novas políticas públicas na próxima década. O relatório com o texto final das proposições deve ser divulgado em até sessenta dias, segundo o regimento

Quem explica mais sobre o que representou esta edição é o indígena de Belo Horizonte, antropólogo, poeta e mestre em cultura popular, Eni Carajá Filho.

“A conferência em si foi um verdadeiro show de Democracia, felicidade, paz e muita produção artístico-teórico. Entendo que a política e o Plano Nacional de Cultura voltou e o parlamento votou, a conferência conferiu e votou. As 84 propostas aprovadas, com pelo menos 30 apontadas como prioritárias, que deverão sobreviver no mínimo para um decênio, ou seja, junto com a Democracia inclusive para dar vitalidade às leis Paulo Gustavo e Aldir Blanc, outra vez eu lembro que aqui, agora temos um sistema único de cultura assim como temos o glorioso Sistema Único de Saúde.”

A Quarta Conferência Nacional de Cultura é uma realização do Ministério da Cultura e do Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), correalizada pela Organização de Estados Ibero-Americanos para a educação, a ciência e a cultura no Brasil (OEI), com o apoio da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO Brasil).
 

Ministra Margareth Menezes com delegação de Minas Gerais/ Foto: Filipe Araújo / MinCMinistra Margareth Menezes com delegação de Minas Gerais/ Foto: Filipe Araújo / MinC