― Advertisement ―

spot_img

Suspeito de tráfico de drogas é preso com arma na cintura no centro de Vila Pavão

  Na tarde do último domingo (16 de junho), um homem de 28 anos foi preso em flagrante por tráfico de drogas e porte ilegal...

Quem são os réus acusados da morte de agricultor que vão a júri em Barra de São Francisco

 

Renato Hubner da Silva foi assassinado com tiros na cabeça, em 2020. Crédito: Reprodução

O Ministério Público (MPES), por meio da Promotoria de Justiça Criminal da Barra de São Francisco, quer a condenação dos réus denunciados pelo homicídio de Renato Hubner da Silva, ocorrido no dia 27 de maio de 2020. O caso envolvendo a “família Guedes”, pessoas conhecidas na região pela comercialização de café, terá o primeiro julgamento na próxima quarta-feira (31/), no Fórum Criminal da Barra de São Francisco, a partir das 8 horas.

Segundo o MPES, irão a júri Elli-Hander Souza Reis e Alex Pereira dos Santos, executor e intermediário do crime, respectivamente. Eles foram denunciados pelo MPES por homicídio duplamente qualificado (mediante pagamento, promessa de recompensa, ou outro motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima).

Além desses dois réus que vão a júri, o MPES denunciou Gilmar Dias Guedes, Gilmar Dias Guedes Junior e Geciele Pereira Guedes, todos membros da mesma família, por envolvimento no homicídio. Em seguida, houve um acréscimo à denúncia, com a inclusão de mais um réu, Jean Pereira Guedes. O caso deles tramita em outro processo, que também será julgado pelo Tribunal do Júri em data a ser definida.

Elli-Hander e Alex Pereira atualmente estão presos no Centro de Detenção Provisória de São Domingos do Norte.

Entenda o caso

Conforme denúncia do Ministério Público, o crime ocorreu motivado pela disputa de compra e venda de café na região. Renato havia se consolidado nesse mercado, tornando-se concorrente direto da família Guedes, que se sentiu prejudicada.

“Os integrantes da família Guedes contrataram Elli-Hander para a execução do crime, pelo valor de R$ 15 mil. A transação foi intermediada por Alex Pereira, que indicou Elli-Hander para os mandantes. De acordo com as investigações, Elli-Hander, acompanhado de um homem não identificado, foi até o local de trabalho do Renato, em um galpão de café no Córrego do Denzol, em Vila Paulista, na zona rural de Barra de São Francisco, por volta das 7h30”, informou o MP.

“Ao chegarem, anunciaram o assalto e determinaram que os presentes se deitassem no chão com as mãos na cabeça. Em seguida, ambos se aproximaram da vítima e efetuaram cinco disparos de arma de fogo na região da cabeça, fugindo logo em seguida. Renato Hubner era morador de Ecoporanga e deixou quatro filhos”, finaliza o MP.

 

Quem são os réus acusados da morte de agricultor que vão a júri em Barra de São Francisco