― Advertisement ―

spot_img

Ibovespa recua 0,82% e está cotado aos 124.615 pontos

O índice da bolsa de valores brasileira (Ibovespa) começou as negociações desta sexta-feira (24) cotado aos 124.615 pontos. O patamar foi registrado após queda...

Secretaria das Mulheres apoia projeto de fabricação e distribuição de bioabsorventes para estudantes Secretaria das Mulheres apoia projeto de fabricação e distribuição de bioabsorventes para estudantes

A Secretaria Estadual das Mulheres (SESM) apoia o projeto “Bora Fluir”, que visa a fornecer absorventes de tecidos reutilizáveis, seguros e sustentáveis. A iniciativa busca também capacitar mulheres da comunidade para a confecção de bioabsorventes, por meio das Oficinas de Costura de Absorventes de Tecido, com o objetivo de promover a autonomia e o empoderamento.

Além das oficinas, essas mulheres participarão de palestras sobre empreendedorismo e vendas, e receberão assessoria em compras e aquisição de insumos. O projeto é uma iniciativa da organização sem fins lucrativos Instituto Mão na Massa e também conta com o apoio da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo (Aderes).

A presidente do Instituto Mão na Massa, Fernanda Pereira, destacou a satisfação que é realizar um projeto que vai capacitar mulheres da comunidade para um mercado que só cresce e que está precisando de mão de obra qualificada. “É uma oportunidade de geração de renda para as mulheres do bairro e região”, disse.

A primeira etapa do projeto vai capacitar 60 mulheres da Região Metropolitana da Grande Vitória. Também serão distribuídos 600 kits de bioabsorventes para estudantes da rede pública. Além disso, serão levados assuntos educativos sobre saúde menstrual, ciclos femininos e práticas sustentáveis.

“Iniciativas que visam promover o acesso a produtos menstruais sustentáveis e o incentivo ao empreendedorismo feminino são de extrema importância para a sociedade como um todo. Esse projeto, que se propõe a oferecer conhecimento e acesso a produtos menstruais sustentáveis aos estudantes da rede pública e fomentar o empreendedorismo capixaba, não apenas aborda uma necessidade de saúde e higiene, mas também tem o potencial de gerar impactos significativos em várias esferas”, pontuou a secretária de Estado das Mulheres, Jacqueline Moraes.

Os benefícios dos bioabsorventes

Os bioabsorventes são feitos com materiais naturais e orgânicos, reduzindo o risco de irritações, alergias e infecções associadas aos absorventes descartáveis convencionais. Além disso, os materiais naturais utilizados na fabricação dos bioabsorventes tendem a ser mais suaves e respiráveis, proporcionando maior conforto durante o uso, especialmente em climas quentes.

O produto também oferece sustentabilidade ambiental. Por serem reutilizáveis, os bioabsorventes ajudam a reduzir significativamente o desperdício de plástico e outros materiais não biodegradáveis, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Uma vez que os bioabsorventes podem ser reutilizados por até quatro anos, isso representa uma economia significativa a longo prazo, em comparação com os absorventes descartáveis, que precisam ser comprados regularmente.

Dignidade Menstrual

Segundo dados do Fundo Internacional de Emergência das Nações Unidas para a Infância (Unicef) de 2023, só no Brasil, das 60 milhões de pessoas que menstruam, 15 milhões não têm acesso a produtos adequados de higiene menstrual. Em 2021, foi criada a Lei 14.214/21, que estabeleceu o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, visando levar mais dignidade menstrual.

A dignidade menstrual é um conceito que se refere ao direito de todas as pessoas terem acesso a produtos de higiene menstrual, bem como a um ambiente que promova o respeito e a dignidade durante o período menstrual. Isso inclui não apenas o acesso a absorventes, tampões ou copos menstruais, mas também a educação sobre saúde menstrual, instalações sanitárias adequadas e um ambiente em que a menstruação não seja estigmatizada ou vista como algo sujo ou vergonhoso.

Promover a dignidade menstrual significa garantir que todas as pessoas tenham acesso igualitário a produtos de higiene menstrual e criar um ambiente em que a menstruação seja tratada com respeito e compreensão, sem tabus ou estigmas. Isso pode envolver políticas governamentais, programas educacionais e ações da sociedade civil para garantir que a menstruação seja reconhecida como uma parte natural da vida e as necessidades das pessoas que menstruam sejam atendidas de forma adequada e respeitosa.

Oficina de corte e costura, educação menstrual e empreendedorismo

As inscrições estão abertas e podem ser feitas até o dia 15 de maio. As aulas são gratuitas, duram dois meses e serão realizadas no bairro Jesus de Nazareth, em Vitória. O projeto oferece 20 vagas sociais para pessoas que precisem de auxílio transporte para frequentar o curso.

Para concorrer às vagas, basta indicar na hora da inscrição os critérios de seleção para o auxílio, que será baseado na renda familiar. As vagas do curso são limitadas e terão prioridade pessoas que residem nas periferias da Grande Vitória.

Serviço:

Local da oficina: Instituto Mão na Massa

Endereço: Rua Helena Muller, 131 – Jesus de Nazareth, Vitória.

Inscrições: Até 15 de maio, pelo link https://forms.gle/HbSKJQWhxkaVvj2i7

Horários das turmas:

Turma 1 – Segunda e terça – 9h às 12h (manhã)

Turma 2 – Segunda e terça – 13h às 16h (tarde)

Turma 3 – Quarta e quinta – 9h às 12h (manhã)

Turma 4 – Quarta e quinta – 13h às 16h (tarde)