― Advertisement ―

spot_img

Brasil: tubarões são contaminados por cocaína, revela estudo da Fiocruz

Em fato inédito no mundo, o Instituto Oswaldo Cruz, da Fundação Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), detectou a contaminação de tubarões por cocaína e seu metabólito,...

Festa religiosa de Corpus Christi reúne fiéis em várias cidades

Os tapetes de Corpus Christi, em frente à Catedral Metropolitana de São Sebastião, na Avenida Chile, centro da cidade do Rio de Janeiro, são uma tradição que reúne fiéis de paróquias e movimentos religiosos de vários bairros da capital. Eles chegaram no fim da madrugada para começar a confecção e, por volta de 12h, estavam concluindo o trabalho em 50 tapetes com diversos motivos relacionados a temas religiosos da Igreja Católica. Em geral, eles são feitos com o uso de sal grosso, serragem, borra de café e colorantes.

Rio de Janeiro (RJ), 30/05/2024 – Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi no centro do Rio. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Fiéis fazem os tradicionais tapetes no centro do Rio. Foto:  Tomaz Silva/Agência Brasil

Tiago Pereira é vocacionado, jovem que se prepara para entrar em um seminário, saiu de casa, às 4h20. Ele mora em Madureira, bairro da zona norte do Rio, para pelo quarto ano participar da montagem junto com amigos do Grupo Vocacional Arquidiocesano (GVA). No futuro ele quer ser padre. “A minha vontade e acho que também é a vontade de Deus”, revelou.

Na visão Tiago, a confecção de tapetes é uma forma diferente de adoração ao Senhor, quando se espera a passagem de Cristo pelos tapetes que representam todos os esforços dos fiéis. “Essa festa do Corpo de Cristo é poder dizer para o mundo que é real. Jesus presente na eucaristia é verdade. É Ele que está ali, o próprio Senhor que instituiu a eucaristia naquela quinta-feira, junto com os apóstolos. E ainda hoje chama apóstolos a servir, mas também fortifica com a Sua eucaristia, tantas famílias e tantas pessoas”, disse explicar o significado, para ele, o dia de Corpus Christi.

Bem ao lado do tapete do GVA, estavam presentes integrantes de uma escola de samba. Essa aproximação das escolas de samba do Rio com a Igreja Católica é incentivada pela própria Arquidiocese do Rio. O Salgueiro levou um grupo de fiéis para a montagem de um tapete que tinha a imagem de São Sebastião, padroeiro do Morro do Salgueiro, da escola e do Rio.

O diretor de Comunicação do Salgueiro, Vitor Brito, disse que essa foi uma ideia do padre Wagner, pároco da Igreja de Santa Rita e de São Jorge. Ele é quem celebra todas as festas que a gente realiza na quadra. O padre está sempre com a gente. Essa ligação com o Salgueiro e com o Morro do Salgueiro sempre existiu”, afirmou.

“O Salgueiro é uma escola preta, sempre exaltou as religiões de matriz africana, mas também tem uma grande parte da sua comunidade que é católica e que está muito feliz de participar desse ato de Corpus Christi”, acrescentou.

União religiosa

Na sequência, um grupo do Instituto Religare, composto por representantes de 28 religiões, preparou um tapete para simbolizar a união. “Para que as pessoas vejam que a gente se respeita entre nós, aprendam um pouco sobre a história de cada um e, principalmente, se tenha paz entre as religiões. É muito necessário, não aqui só, mas no mundo inteiro”, defendeu Luzia Lacerda, presidente do Instituto, lembrando que é o quinto ano que o grupo participa da confecção de tapete para a procissão de Corpus Christi, na capital fluminense.

Recorde

Em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, os fiéis mais uma vez fizeram o maior tapete do estado. Com dois quilômetros de extensão, já foi recorde na América Latina, lugar ocupado atualmente por Curitiba. “A gente vê muita alegria do povo que vem para preparar, organizar e deixar bem bonito aqui, celebrando Jesus Cristo”, comentou o bispo auxiliar da Arquidiocese de Niterói, dom Geraldo de Paula em entrevista à Agência Brasil. A arquidiocese é composta de 14 cidades, entre elas, São Gonçalo e Cabo Frio.

Cristo Redentor

Rio de Janeiro (RJ), 30/05/2024 – Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi no centro do Rio. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi no centro do Rio. Foto:  Tomaz Silva/Agência Brasil

No Santuário Arquidiocesano do Cristo Redentor, o arcebispo da Rio, dom Orani Tempesta, participou às 7h da manhã, da solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, abrindo a Semana do Meio Ambiente. Aos pés da imagem do Cristo Redentor foi confeccionado um tapete sustentável, feito por jovens. Preparado com borra de café, serragem, casca de ovo e sal colorido, apresentou os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU), as Obras de Misericórdia, e uma imagem de Nossa Senhora, Rainha da Ecologia. No fim da celebração, os materiais foram levados para compostagem, processo de decomposição de materiais orgânicos que resulta em adubo.

No Rio, a programação da celebração religiosa tem ainda a encenação do espetáculo Auto do Corpo de Deus ao lado da Catedral Metropolitana de São Sebastião e a tradicional procissão de Corpus Christi.

São Paulo

A solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, Corpus Christi, em São Paulo, reuniu fiéis, religiosos, diáconos e padres em frente à Catedral da Sé, na Praça da Sé, na manhã desta quinta-feira. A missa campal foi celebrada pelo cardeal Odilo Pedro Scherer e concelebrada pelos bispos auxiliares de São Paulo.

São Paulo (SP) 30/05/2024 - Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, presidiu missa campal da Solenidade de Corpus Christi, na Praça da Sé, destacando as maravilhas da Eucaristia para humanidade e para toda a Igreja. Foto: Paulo Pinto/Agencia Brasil

Arcebispo Metropolitano, Cardeal Odilo Pedro Scherer, celebra missa campal de Corpus Christi, na Praça da Sé, Foto: Paulo Pinto/Agencia Brasil

Dom Odilo afirmou que aquele era um momento de grande unidade e de comunhão da Arquidiocese em torno de Jesus Cristo na eucaristia, e lembrou dos mais necessitados. “Agradeçamos no dia de hoje, de modo particular, por todos os benefícios recebidos, e a Jesus na Eucaristia; apresentemos as necessidades dos nossos irmãos, sobretudo dos que mais sofrem: os pobres, doentes e pessoas que têm dificuldades na vida”, manifestou o cardeal, em texto publicado no site da Arquidiocese.

Ainda no estado de São Paulo, a solenidade de Corpus Christi também é tradicional na cidade de Santana do Parnaíba.  Desde 1961 é celebrada com a confecção de 60 tapetes por onde passa a procissão. A produção do tapete começa antes da quinta-feira. Ele se estende por aproximadamente 850 metros de extensão, e são usados materiais como argila, casca de ovo, farinha de trigo, pipoca, pó de café, entre outros.

Brasília

Como tradicionalmente ocorre há 46 anos, a Esplanada dos Ministérios foi o local escolhido para a solenidade religiosa de Corpus Christi, em Brasília. Atendendo a um pedido do cardeal arcebispo da Capital Federal, dom Paulo Cezar Costa, para que que os fiéis levam alimentos não perecíveis, que serão encaminhados às vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul. “Essa é uma maneira de sermos solidários com aqueles que estão necessitando da nossa ajuda”, disse o cardeal.

Brasília (DF), 30/05/2024 - Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Fiéis confeccionam tapetes de Corpus Christi na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Foto:  Marcelo Camargo/Agência Brasil

Conforme a arquidiocese, as atividades começaram por volta das 6h de hoje, com a montagem do tapete de 125 metros no gramado central. A montagem reuniu aproximadamente 600 pessoas integrantes de diversos movimentos, pastorais e serviços da arquidiocese.

A tradição dos tapetes

Dom Geraldo de Paula, da Arquidiocese de Niterói, contou que foram os portugueses que trouxeram a confecção dos tapetes para o Brasil como forma de evangelização. “Eles trouxeram essa tradição, esse costume de enfeitar as ruas neste dia da solenidade do Corpo de Deus. Esse momento que temos de montar os tapetes é muito interessante porque é um espaço para todos, desde crianças até idosos. Isso acaba atraindo mais pessoas porque veem ali como um lugar aberto onde as pessoas podem colocar a sua criatividade. É um espaço abençoado de com vivência”, disse.

Celebração

De acordo com a Arquidiocese do Rio, a solenidade ocorre sempre na quinta-feira após a festa religiosa da Santíssima Trindade e atende a uma recomendação do Código do Direito Canônico, no qual pede à comunidade diocesana para “testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia”. Segundo dom Orani Tempesta, nesse dia a Igreja celebra a presença de Cristo na eucaristia para lembrar a morte e ressurreição do Senhor.

Rio de Janeiro (RJ), 30/05/2024 – Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi no centro do Rio. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Fiéis confeccionam os tradicionais tapetes de Corpus Christi no centro do Rio. Tradição trazida para o Brasil pelos portugueses. Foto: Silva/Agência Brasil

“É uma maneira também de dizermos ao mundo que não estamos sozinhos, Cristo está conosco e queremos que a presença dele transforme as nossas vidas, a nossa sociedade para que cada vez mais sejamos mais justos, mais humanos e mais fraternos”, disse o cardeal em áudio encaminhado à Agência Brasil pela Arquidiocese.

A celebração começou em 11 de agosto de 1264 com o papa Urbano IV. Mas a origem do evento religioso é no ano de 1247, em Liège, na Bélgica. Conforme a arquidiocese de São Paulo, na época, “surgiu um movimento eucarístico com a finalidade de propagar a fé católica na presença real de Cristo nas espécies eucarísticas”.

“Naquela ocasião, aconteceu a primeira procissão eucarística pelas ruas da cidade. Anos depois, essa celebração se tornou nacional e, em 1313, o papa Clemente V a estabeleceu como uma festa de caráter mundial”, diz o texto publicado no site da arquidiocese.

Festa religiosa de Corpus Christi reúne fiéis em várias cidades