― Advertisement ―

spot_img

Prefeitura realizará a entrega de títulos de propriedade de imóveis; veja a lista

A prefeitura de Barra de São Francisco, por meio da Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária, vai realizar a 1ª entrega de títulos...

Poda e condução de lavouras de cacau são temas de dia de campo em Rio Bananal

Produtores rurais participaram de um dia de campo de poda e condução de lavouras de cacau, na última terça-feira (30), na propriedade da família Malavazi, na comunidade de Córrego Araújo, em Rio Bananal. A cultura é a terceira de maior importância econômica do município, depois do café conilon e da pimenta-do-reino, com uma área implantada de mais de 700 hectares (ha).

A ação foi realizada pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Bananal e Banco do Nordeste.

A programação foi organizada em duas turmas, que foram orientadas pelos extensionistas Geraldo Mendes da Silva e Osvaldino Martins de Oliveira Neto, que atuam nos escritórios locais do Incaper em Linhares e Colatina, respectivamente. O conteúdo teve como enfoque a importância de coleta de solo, com atenção especial aos cuidados de não contaminação de amostras e, em seguida, houve demonstrações de poda para formação do cacaueiro, com supervisão de prática dos agricultores participantes.

Além de detalhes e definições sobre as amostras coletadas em solo e o uso correto dos instrumentos de amostragem e recipientes de coleta, os participantes foram lembrados a respeito do tratamento das amostras coletadas. “É o correto fazer a homogeneização das amostras coletadas em campo e o acondicionamento em sacola para envio ao laboratório com identificação da gleba, cultura, data de coleta e análise pretendida”, lembrou Osvaldino de Oliveira.

O extensionista e coordenador do Incaper local de Rio Bananal, Bruno Pella, lembrou que há alguns anos o município tem apresentado, de forma significativa, um forte desenvolvimento dessa cultura em produtividade e qualidade do cacau, com a verticalização do processo da cultura. “É uma cultura estratégica nas nossas ações de desenvolvimento. À medida que avançamos nas estratégias de manejo, contribuímos para aumentar a rentabilidade das famílias produtoras de cacau”, explicou.

Pella também reforçou dois exemplos de avanços da cultura em Rio Bananal: o Programa Mulheres do Cacau, que ajuda agricultoras a aprimorarem as técnicas de cultivo e manuseio do cacau, desde o cultivo da fruta até a fabricação do chocolate; e a recente inauguração de uma fábrica de chocolates artesanais no município.

“Essa é mais uma troca de conhecimentos e experiências que possibilitam a diversificação e o fortalecimento da agricultura familiar não só de Rio Bananal, mas do Espírito Santo e também do Brasil”, lembrou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Bananal, Gilberto Soares de Mattos.

O dia de campo de poda e condução de lavouras de cacau foi o segundo evento, entre vários outros que estão acontecendo em Rio Bananal, conforme diretrizes do Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter), do Banco do Nordeste, distribuído para diversas atividades agrícolas no município. O Prodeter tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento territorial e local por meio da organização, fortalecimento e elevação da competitividade das atividades econômicas da região.