― Advertisement ―

spot_img

Acidente entre carro e moto no Bambé

Um acidente foi registrado na manhã desta terça-feira (21), no bairro Bambé. Conforme mostra as fotos, o acidente foi entre uma motocicleta e um veículo...

Lewandowski diz que investigação do caso Marielle será encerrada

Ministro da Justiça deu entrevista depois da operação que prendeu 3 suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, afirmou neste domingo (24.mar.2024) que os trabalhos de investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Torres, serão encerrados “por ora” pela Polícia Federal.

Lewandowski deu entrevista a jornalistas depois da operação da PF que prendeu mais 3 suspeitos de envolvimento no caso. Foram presos:

  • Domingos Brazão, conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro;
  • Chiquinho Brazão (União Brasil-RJ), deputado federal;
  • Rivaldo Barbosa, ex-chefe da Polícia Civil do Rio.

Os agentes da PF também cumprem outros 12 mandados de busca e apreensão na capital do Rio de Janeiro em endereços de outros nomes ligados à investigação. A operação, batizada de Murder Inc., foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Segundo o ministro da Justiça, é possível que novos fatos sejam apresentados futuramente, mas, até isso ser feito, a investigação que se prolonga há 6 anos está encerrada.

“A polícia em suas investigações identificou os mandantes e demais envolvidos nesta questão, é claro que podem surgir novos elementos, mas neste momento os trabalhos foram dados como encerrados”, declarou Lewandowski.

O crime ocorreu em 14 de março de 2018 e desde 2019 os executores do crime, os ex-policiais Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz, estão presos. A partir da delação de Queiroz, foram identificados os intermediadores do crime. A delação de Lessa, homologada pelo STF neste mês, foi o ponto-chave para identificar os mandantes do crime.

Na mesma entrevista, o diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues, afirmou que a corporação concluiu que os irmãos Brazão foram os mandantes do crime, mas não descartou que outras ações podem ser adotadas a partir das prisões.

Andrei afirmou que a motivação para o crime não é única e envolve todo o contexto de atuação de milícias, disputa por territórios e regularização de loteamentos no Rio de Janeiro.

“O que há é várias ações que envolvem a vereadora Marielle Franco, envolve milicias, disputa de territórios, regularização de loteamentos e que naquele contexto onde havia um cenário que culminou nesse bárbaro assassinato que projetou toda a situação caótica no Rio de Janeiro“, afirmou.

O ministro da Justiça informou que o relatório da PF tem mais de 400 páginas e as provas obtidas na investigação são “suficientes” para que o MPF (Ministério Público Federal) apresente uma denúncia contra os envolvidos. A partir da denúncia, o STF deve analisar se o caso deve ou não se tornar uma ação penal – o que poder levar a condenação dos suspeitos. O caso está na 1ª Turma da Corte.

 

Lewandowski diz que investigação do caso Marielle será encerrada