― Advertisement ―

spot_img

PREVISÃO DO TEMPO: quarta-feira (22) sem chuvas no sul maranhense

Nesta quarta-feira (22), o dia começa com possibilidade de chuva no oeste, centro e leste maranhense. Pancadas de chuva são esperadas no norte do...

Com capixabas, Brasil faz sua melhor participação na história da Copa do Mundo de Ginástica Rítmica

Com as capixabas Déborah Medrado e Sofia Madeira na equipe, a seleção brasileira de conjunto de ginástica rítmica alcançou sua melhor participação na história de uma etapa de Copa do Mundo, em Portimão, Portugal, com a conquista de três medalhas: ouro na série mista (três fitas e duas bolas) e pratas no geral e nos cinco arcos. A competição foi encerrada nesse domingo (12).

Além disso, no individual, a também capixaba Geovanna Santos chegou à final do aparelho maças. Com a participação da paranaense Bárbara Domingos, foi a primeira final na história de uma Copa do Mundo que contou com duas brasileiras.

Déborah Medrado, Geovanna Santos e Sofia Madeira são contempladas pelo programa Bolsa Atleta, da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport).

A 74 dias para o início da Olimpíada de Paris, Déborah Medrado e Sofia Madeira seguem confiantes em uma boa participação do Brasil nos Jogos.

“Foi uma conquista histórica, inédita para o Brasil. Superamos a etapa de 2023 na Romênia, quando conquistamos um ouro, uma prata e um bronze, e agora chegamos a um ouro e duas pratas. Estamos vindo de uma evolução constante, e a cada competição estamos melhorando, e isso é muito importante para chegarmos em Paris muito bem, com muita experiência e bagagem para chegarmos nas cabeças. Então, esse resultado é importante para o time, para chegarmos em Paris cada vez mais confiante”, disse Déborah Medrado.

“Todo o nosso esforço está valendo a pena. O mais importante é a construção da nota. Temos duas séries muito fortes. E entrar em quadra, fazer as séries e receber boas notas é muito importante para nós. A cada competição que a gente vai, estamos desenvolvendo um pouco mais. Queremos chegar em Paris e poder mostrar nossa melhor série, alcançar nossa melhor nota e, se Deus quiser, com grande chance de uma medalha olímpica, porque dá para ver que a nossa série pareia com as melhores do mundo e que temos força suficiente para chegar lá e conseguir uma medalha”, comentou Sofia Madeira.

O conjunto brasileiro faturou o ouro na série mista com uma nota de 32,550 pontos. O México, segundo colocado, atingiu 30,100 de pontuação. Nos cinco arcos, as brasileiras alcançaram a nota de 35,200 pontos e só ficaram atrás da Espanha, que atingiu 35,750 pontos. No geral, o quinteto verde e amarelo conseguiu uma nota alta: 68.850. A Espanha foi campeã com 70.300 pontos.

Além de Déborah Medrado e Sofia Madeira, fazem parte da equipe do Brasil Maria Eduarda Arakaki, Nicole Pircio e Victoria Borges.

A treinadora capixaba Gizela Batista, que esteve em Portugal acompanhando Geovanna Santos, comentou sobre os resultados do Brasil e das representantes do Estado.

“Temos muito orgulho de ter duas capixabas representando o Brasil na Copa do Mundo. E no individual a Geovanna também conseguiu um grande feito, ao chegar na final das maças. A primeira vez que ela chegou em uma final nas maças em uma Copa do Mundo. Infelizmente, ela teve uma pequena falha e em uma competição de nível alto não podemos errar. Agora vamos nos preparar para a nossa próxima competição, a disputa do Pan-Americano, no início de junho”, destacou Gizela Batista.

Torneios internacionais

Antes da Copa do Mundo em Portimão, foram disputados torneios internacionais da modalidade na Polônia e na própria cidade portuguesa.

Na Polônia, Geovanna Santos conquistou três medalhas, pratas na bola e na fita, e bronze no arco, terminando na quarta colocação geral.

Já em Portimão, Ana Luísa Neiva, que viajou com passagens pagas pelo programa Voe Atleta, também da Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport), ficou na sétima colocação geral e chegou nas finais dos aparelhos arco, bola e maças. A treinadora e presidente da Federação do Espírito Santo de Ginástica (FESG), Monika Queiroz, também viajou com passagens concedidas pelo Voe Atleta.

Bolsa Atleta

O Bolsa Atleta tem como objetivo principal beneficiar atletas e paratletas de alto rendimento, com o auxílio financeiro mensal que deve ser utilizado para a manutenção dos resultados obtidos e da carreira esportiva do atleta no ano de recebimento do benefício.

Com um investimento de R$ 3,9 milhões, o edital 2024 atingiu o recorde de esportistas de alto rendimento selecionados, com 234 contemplados, 43 a mais do que no edital anterior. Serão pagos aos selecionados 12 parcelas mensais, de acordo com a categoria: estudantil (R$ 500), nacional (R$ 1.500), internacional (R$ 2 mil) e olímpico (R$ 4 mil).

Voe Atleta

O Voe Atleta, antigo Compete Esportivo, é um programa que custeia passagens de avião, com o intuito de viabilizar a participação de atletas e paratletas capixabas em competições nacionais e internacionais.