spot_img

― Advertisement ―

spot_img

Barões da Pisadinha, Tierry e Felipe Araújo na Festa da Cidade de Nova Venécia

A Prefeitura de Nova Venécia divulgou as atrações da festa em comemoração aos 70 anos do município. O evento acontecerá na praça Ivo Lobo...

Prefeitura entrega ‘cestas verdes’ para famílias afetadas pela enchente em Paulista

A prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), distribuiu nesta terça-feira, 30, quarenta cestas básicas (cestas verdes) do Programa de Aquisição de Alimentos do Governo Federal (PAA) para famílias atingidas pela enchente da semana passada no distrito de Paulista.

Outras 150 cestas verdes estão sendo distribuídas para a população carente do distrito.

A ação da Semas complementa a distribuição de cesta básicas com itens essenciais, como óleo de soja, arroz, feijão, açúcar e outros produtos, que já foram entregues logo após a enchente, no início da semana passada.

Cada família atingida pela enchente em Paulista recebeu uma cesta verde com diversos produtos, entre eles alface, aipim, mamão, laranja, limão, coco, entre outros.

As pessoas que recebem os alimentos encontram-se em situação de vulnerabilidade social e estão cadastradas pela Secretaria de Assistência Social no Programa de Atenção Integral à Família (PAIF) e Proteção e Atendimento Especializado à Famílias e Indivíduos (PAEFI).

A assistente social Fabíola Medeiros de Freitas, coordenadora do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), destacou que a Semas tem se empenhado em ajudar as famílias de Paulista desde o dia do alagamento de ruas no distrito.

“Foram entregues algumas cestas básicas e fizemos contato com o Estado para obter outros auxílios. A Defesa Civil também vai enviar alguma ajuda para Paulista. Nós viemos com a cesta verde, do PAA, que são entregues geralmente lá na sede, de 15 em 15 dias para as famílias que são atendidas no CRAS. Sobre a entrega dos produtos da Defesa Civil para as famílias afetadas pelos alagamentos, serão itens como colchões, lençóis, travesseiros, dentre outros. Com isso estamos nos esforçando para atender essas famílias da melhor forma possível”, explica Fabíola.

A assistente social do Centro de Referência especializado em Assistência Social (CREAS), Vera Lúcia da Fonceca Pereira, disse que as equipes do CRAS e CREAS tiraram duas famílias que estavam em situação de risco, e colocaram numa escola até que possa ser providenciado o aluguel social para elas.

“Com esta, são duas famílias que estarão utilizando o aluguel social, até que consigam uma moradia segura”, informou.

O motorista José Carlos Soares Meneguete, 67 anos, um dos beneficiados com o aluguel social, disse que já está com o contrato registrado e ficará pelo menos seis meses na nova casa. “Me mudei no domingo para um novo lugar, porque a Defesa Civil interditou o lugar onde eu morava e pediu para que eu mudasse, porque estava em uma área de risco e trincou uma parede, o piso cedeu, por isso tive que mudar. Dou nota dez para o atendimento da Secretaria de Assistência Social e a Defesa Civil junto comigo. Só tenho que agradecer primeiramente a Deus, e a eles, que continuam me apoiando e acredito que irão continuar no que eu precisar, como cesta básica. Me informaram que mais tarde vão me entregar um colchão, porque eu perdi meu colchão, cama, televisão, perdi tudo. Mas graças a Deus não perdi a vida. Porque quantas pessoas na chuva, perdem as coisas e ainda perdem alguém da família. Eu só peço a Deus que me dê saúde e força para eu vencer.”

Juciara Rodrigues Sabino, 29 anos, dona-de-casa, também disse que só tem a agradecer o trabalho da prefeitura. “A gente só tem a agradecer a prefeitura, a assistência social porque foi muita perda. Então está sendo muito bom essa ajuda que estão nos dando. Só tenho a agradecer mesmo. Eu estou grávida e a assistência social está me ajudando nisso também, já veio algumas coisinhas de lá pra mim e agora veio de novo. Eles estão me ajudando bastante. Graças a Deus, nós só temos a agradecer mesmo.”

A professora Janete Mutz, 56 anos, disse que a enchente ‘foi terrível’ e que não é a primeira vez que ela passa por isso.

“Ninguém quer isso, ninguém está preparado. Então é muito difícil e não é a primeira vez. E quanto a assistência que estamos recebendo está show, nota 10, principalmente as meninas da assistência social, a Graciana e as outras, que estão realizando um trabalho maravilhoso. Eu fiquei encantada com a sensibilidade delas, vieram à noite, trouxeram engenheiro. Nota dez mesmo, sem querer bajular, excelente o trabalho delas. Estamos sendo muito bem acolhidos e estou até surpresa, estão de parabéns. Elas chegaram e disseram, amanhã nós vamos tentar uma cesta básica para vocês e no outro dia veio mesmo. Olha, na hora que você precisa e você é acolhido não tem nada melhor, não tenho palavras para expressar minha gratidão. Aconteceu, porque Deus permitiu, mas o acolhimento está sendo muito bom. Excelente trabalho de vocês todos”, elogiou.

O que é o teste do pezinho?