― Advertisement ―

spot_img

Músico Bruno Sabadim é encontrado morto dentro de casa, em Nova Venécia

 

A Polícia Civil com apoio da Polícia Cinetífica (PCIES) investiga a causa da morte do baterista e percussionista Bruno Sabadim, de 37 anos, encontrado morto dentro de casa, na madrugada deste domingo de Páscoa (31), no bairro Rúbia, em Nova Venécia, no Norte do Espírito Santo. A informação é de Wilson Rodrigues, da Rede Notícia

Segundo a Polícia Militar, na madrugada deste domingo (31), policiais militares foram acionados para verificar uma ocorrência de encontro de cadáver por morte natural na região do bairro Rúbia, em Nova Venécia.

Um colega da vítima relatou aos PMs, que por volta das 19h, de sábado (30), enviou uma mensagem no grupo lembrando a todos que mais tarde estariam tocando em um bar da cidade. Ele disse que todos os integrantes do grupo musical respondeu, menos a vítima, que também não compareceu no bar. Após o evento, os colegas foram até a casa do músico e após muito chamar, sem serem atendidos, entraram no quintal e pela a janela viram o colega no sofá, aparentando estar em óbito. Devido ao fato, os colegas arrombaram a porta dos fundos e ao se aproximar da vítima constataram que ela não respirava. A perícia da Polícia Científica (PCIES) foi acionada.

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado como encontro de cadáver e o procedimento foi encaminhado para a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Nova Venécia, que aguarda o resultado dos exames. O corpo da vítima foi pela Polícia Científica encaminhado para o Serviço Médico Legal (SML) de Colatina para identificação e realização do exame cadavérico, visando determinar a causa da morte.

“De acordo com a legislação, o prazo para a emissão do laudo cadavérico é de 10 dias, podendo ser prorrogado por um período igual. Em situações que requerem exames laboratoriais, o processo pode levar mais tempo, especialmente quando são necessários exames de DNA (até 30 dias) e exames histopatológicos, um procedimento laboratorial que envolve a análise microscópica de tecidos biológicos (entre 60 a 90 dias)”, informou a Polícia Civil.