― Advertisement ―

spot_img

Caminhada no centro de Barra de São Francisco contra exploração sexual infantil

Dentro da programação do Maio Laranja, movimento que visa o combate ao abuso sexual infantil, aconteceu nesta, quarta-feira (15), às 9h, uma caminhada do...

Depois da Oftalmologia, Saúde inicia Mutirão de Ultrassonografia na UBS Alvino Campos

Terminou nesta sexta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, o mutirão consultas e exames oftalmológicos em parceria com a Região Central Norte de Saúde da Sesa, que atendeu cerca de 800 pacientes na Unidade de Saúde Alvino Campos (Pavilhão). No mesmo dia teve início outro mutirão, também em parceria com a Sesa, para liberação de exames de ultrassonografia, no mesmo local.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Elcimar de Souza Alves, os mutirões de consultas e exames especializados em parceria com a Regional Norte de Saúde da Sesa, vão continuar até desafogar as filas de exames e consultas do município.

O mutirão de ultrassonografia continua neste sábado, 9, e pretende atender 60 pessoas por dia e 240 pacientes nos quatro dias de atendimento.

“São pacientes que estão esperando há um ou dois meses para o fechamento do diagnóstico dos seus médicos e que agora terão o exame para apresenta-los”, explica o secretário.

Os atendimentos de exames de ultrassonografia deste mutirão são para pacientes pré-agendados nas unidades de saúde dos bairros da Sede e dos Distritos. A ação é uma parceria da Semus com a Região Central Norte de Saúde da Sesa, sediada em São Mateus e que abrange toda a Região Norte e Noroeste do Estado do Espírito Santo, incluindo Barra de São Francisco.

Uma equipe formada por um médico ultrassonografista e auxiliares de consultórios vindos de São Mateus, além de servidores de saúde que já trabalham no Pavilhão formam os profissionais do mutirão.

“O nosso compromisso com a coordenação da Região Central Norte de Saúde é fazermos mais três etapas de atendimentos, ou duas, porque nós vamos zerar a nossa fila de ultrassonografia que está dando entrada nas nossas unidades. Já fizemos de consultas e agora nós estamos fazendo esse de ultrassonografia”, explicou Elcimar.

O secretário alertou, que quem precisar fazer o exame e ainda não deu entrada no posto de saúde do seu bairro, que solicite ao médico o seu pedido e dê entrada na sua Unidade de Saúde, que poderão realiza-lo nas etapas que virão. Ele solicitou também que o paciente que já estiver com o exame agendado para este mutirão, não falte ao procedimento.

O subsecretário de Saúde, Rubens Felipe Delazari Mendonça descreveu o caminho percorrido pelos pacientes até a realização do exame e destacou o cuidado da Semus com os pacientes atendidos por ela. “A fila são pessoas que procuram as unidades de saúde, onde o médico prescreve os exames, assim como a ultrassonografia, que são inseridos no sistema de regulação do Estado. Então eles esperam um, dois ou três meses e o objetivo maior é zerar essa fila sem que as pessoas tenham que sair da cidade para executar esse tipo de procedimento, saindo do consultório com o seu exame para mostrar o seu médico, o resultado. O objetivo da Secretaria de Saúde é sempre prestar o melhor serviço para cada cidadão e um dos princípios que a gente zela é pela eficiência e agilidade, para que as pessoas possam ficar felizes com o resultado e procurar tratar com a unidade básica saúde o mais rápido possível”, explicou Delazari.

O médico ultrassonografista, Feliciano Gil Quaresma Novais citou os diversos exames que a ultrassonografia pode realizar no paciente que passa pelo procedimento. “A ultrassonografia tem uma variedade infinita. Hoje aqui nós vamos fazer ultrassonografia abdominal, do aparelho urinário, da parede abdominal, endovaginal, obstétrico, dentre outros. No obstétrico a gente pode identificar anomalias cerebrais, cardiovasculares, distúrbios do crescimento, além do desenvolvimento dos bebês; na endovaginal a gente pode identificar por exemplo, endometriose, alguns tipos de cânceres, miomas; no abdome total podemos identificar pedra na vesícula, que é a colelitíase, pancreatite, pedra no rim, que é a nefro litíase, algum distúrbio da bexiga; no aparelho urinário a gente também identifica pedra no rim, distúrbio da bexiga e também o de próstata, onde a gente pode ver também o aumento da próstata, que pode implicar em hiperplasia da próstata, que é uma doença benigna, como também o câncer. Então é um exame muito amplo, que esclarece muita coisa e é fácil de fazer, muito rápido, não causa dor e geralmente traz muitos benefícios para os pacientes. O ideal é o paciente sempre procurar um médico de sua confiança e ele fazer uma avaliação e o que ele (o médico) achar necessário ele pede, solicita. O importante é conversar com o médico e assim ele solicitar um exame que realmente vai trazer algum tipo de esclarecimento para o raciocínio clínico dele”, explicou o médico.

A aposentada, Gesina Onório Ramos de 69 anos, moradora do Bairro Campo Novo, estava se sentindo aliviada, por participar do mutirão de exames de ultrassonografia. “Para nós é muito importante, porque vamos para o exame e ficamos toda vida esperando autorizar, e fazendo esse mutirão, Graças a Deus saiu a tempo, porque se você estiver com uma doença, você descobre mais rápido para fazer o tratamento”, afirmou a senhora Gesina, que precisa do exame para a identificação, se possui esteatose hepática (gordura no fígado). Ela agradeceu o trabalho e dedicação dos profissionais da saúde que estão participando do mutirão.