― Advertisement ―

spot_img

Brasileiro é assassinado em Portugal após defender mulheres

O imigrante brasileiro Keldeny Silva, de 21 anos, foi assassinado na região metropolitana de Lisboa após defender duas mulheres que estavam sendo incomodadas por...

Cerveja, vinho e caipirinha de graça: Pomitafro 2024 deve reunir 40 mil pessoas

A tradicional festa Pomitafro, maior festival de integração étnico-cultural da região sudeste, celebra sua 25ª edição nos dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro no Parque de Festa, Nova Munique, em Vila Pavão. A carretela promete reunir cerca de 40 mil pessoas. O evento tem entrada gratuita.

O nome “Pomitafro” é uma homenagem às três principais etnias que contribuíram para a formação cultural de Vila Pavão: os Pomeranos, os Italianos e os Afro-brasileiros. O evento foi criado para celebrar essa diversidade étnica e reforçar o orgulho das raízes culturais da comunidade.

Durante a festa, o centro de Vila Pavão é tomado pelas “Esquinas Culturais”, que oferecem uma extensa programação de danças folclóricas, apresentações de bandas musicais, rodas de capoeira, tocadores de concertina e eventos como o “tombo da polenta”. Os estabelecimentos comerciais locais também participam, oferecendo café colonial gratuito.

Um dos momentos mais aguardados do evento é a carretela, que acontece na tarde de sábado. Este desfile atrai milhares de pessoas com a distribuição de bebidas típicas de cada uma das etnias celebradas: chope na ala pomerana, vinho na ala italiana e caipirinha na ala afro-brasileira.

Segundo a secretária de Cultura e Turismo de Vila Pavão, Libian Paganoto, além das atrações culturais, a Pomitafro também tem um impacto significativo na economia local. O evento movimenta a economia com aumento nas vendas no comércio, procura por hotéis e até mesmo na produção de roupas típicas. A demanda por trajes é tão alta que as costureiras da cidade já em junho estão sem disponibilidade para novos pedidos.

A secretária revelou que o festival também vai contar com uma programação de shows nacionais e regionais. Este ano, a dupla Antony e Gabriel se apresentará no domingo, dia 1º de setembro, encerrando a festa. O domingo também será marcado pelo festival de danças folclóricas, considerado o maior da região, com a participação de mais de 20 grupos. Vila Pavão, que tem menos de 9 mil habitantes, orgulha-se de ter 15 grupos folclóricos, abrangendo todas as idades, desde crianças a partir de 4 anos.

HISTÓRIA DA FESTA

Desfile da Festa Pomitafro em Vila Pavão. Foto: Divulgação

A Pomitafro, criada em 1989 pelos professores do Centro de Integração de Educação Rural (CIER). Naquela época, o CIER organizava uma festa que não refletia a herança cultural das pessoas do município.

Diante dessa situação, os professores perceberam a necessidade de valorizar a cultura local. Notaram que a cultura dos três grupos predominantes – pomeranos, italianos e afro-brasileiros – estava adormecida e precisava ser despertada. Cada grupo vivia sua cultura de maneira isolada, com sua língua, culinária, música e modo de se vestir, sem se integrar.

Essa observação foi levada para uma reunião, onde foi discutida a importância de pesquisar a história desses grupos étnicos que colonizaram o município. Ao trazer essas informações para a escola, ficou claro que era necessário valorizar a cultura local, em vez de aplaudir influências externas. A ideia era expressar a cultura reprimida dentro dessas comunidades e fazer com que fossem reconhecidas e aplaudidas.

Durante a festa, as casas de Vila Pavão são enfeitadas e a cidade recebe dezenas de grupos étnicos do Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais. A programação inclui grupos musicais, danças folclóricas e desfiles de rainhas das três etnias.