― Advertisement ―

spot_img

Carro bate em veículo estacionado e capota em Montanha

  Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que um carro bate de frente com outro veículo que estava estacionado, na rua José...

Sumiço de gari de Nova Venécia ‘deixado para trás’ em Vila Velha completa 5 meses

 

Quase cinco meses depois, o desaparecimento do trabalhador braçal Paulo Sergio Gastaldi, de 49 anos, ainda é um mistério. O homem saiu de Nova Venécia, no Norte do Espírito Santo, para fazer uma perícia médica em Vila Velha, na Grande Vitória, no dia 1º de novembro do ano passado, e desapareceu. Ele deveria retornar no ônibus da Secretaria de Saúde de Nova Venécia, no entanto, não retornou para a cidade, e não foi mais visto. Na época, a família informou que registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil. A reportagem é de Wilson Rodrigues, da Rede Notícia.

Segundo a Polícia Civil, “as investigações e as diligências da Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas (DEPD) estão em andamento, porém até o momento ele não foi localizado”. De acordo com a corporação, “informações que possam auxiliar no trabalho de investigação de pessoas desaparecidas podem ser passadas de forma sigilosa por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas. Também é possível passar informações diretamente à equipe de investigação da delegacia, pelo telefone (27) 3137-9065, ou indo pessoalmente à unidade”.
Na época do sumiço, Maria da Penha Aparecida Gastaldi, de 60 anos, irmã de Paulo, disse que o irmão trabalhava de gari na Prefeitura de Nova Venécia, e estava de licença médica após ele ter quebrado o braço. A partir disso, foi agendada a perícia em Vila Velha, em 1º de novembro, quando o homem desapareceu.

“Ele saiu de madrugada de Nova Venécia, no dia 1º de novembro, onde faria a perícia no INSS de Vila Velha. Ele não tinha celular, e ele não voltou no ônibus da Saúde’, detalha a irmã. Ainda segundo Maria da Penha, o irmão tinha o costume de ingerir bebida alcoólica, e morava sozinho. “Ele nunca sumiu. Vivo ou morto a gente tem que encontrar ele”, desabafou. Quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro do servidor público, pode fazer contato com a irmã dele, Maria da Penha, através do telefone (27) 99868 – 4957.

Segundo o Portal da Transparência da Prefeitura de Nova Venécia, Paulo Sergio Gastaldi, de 49 anos, desempenha a função de Trabalhador Braçal desde 03 de abril do ano passado, e estava de licença para tratamento de saúde desde 29 de agosto daquele ano. Naquela ocasião, a reportagem ligou para o secretário de Saúde de Nova Venécia, Biel da Farmácia, que disse que Paulo, de fato, constava na lista de transporte feito por uma empresa tercerizada que prestava serviço à Prefeitura de Nova Venécia, para fazer uma perícia em Vila Velha, em 1º de novembro. Biel da Farmácia disse ainda que a empresa tercerizada informou na época que o homem foi deixado no ponto mais próximo de onde ele faria a perícia, e que ao passar no local em horário agendado, o homem não estava no ponto. O ônibus teria aguardado por mais de uma hora, e em seguida, o veículo passou nas imediações do INSS de Vila Velha, no entanto, o homem não foi localizado. O veículo, então, retornou a Nova Venécia.