― Advertisement ―

spot_img

Soja: produtores já podem se preparar para semeadura

Os agricultores que seguem as recomendações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) — estudo que identifica regiões e épocas de menor risco climático para...

Sinfônica do Espírito Santo realiza concertos em homenagem ao Dia Internacional da Mulher

A maestra convidada Sarah Higino vai reger a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Foto: Fabíola Ito)

A maestra carioca Sarah Higino será a regente convidada dos concertos que a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) realiza nos próximos dias 6 e 7 de março, como parte das séries Quarta e Quinta Clássica, às 20h, no palco do Sesc Glória, Centro de Vitória. Nos dois espetáculos, que celebram o Dia Internacional da Mulher, a produção artística feminina será o destaque do repertório, com obras de Lili Boulanger, “D’un Matin de Printemps”; Yanella Bia, “Rasgos Latinos”; e Amy Beach, “Sinfonia em Mi Menor, Op. 32 ‘Gaélica’”.

À venda na bilheteria do Sesc Glória e também on-line (quarta-feira e quinta-feira), os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível).

Com patrocínio do Instituto Cultural Vale, viabilizado por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura (MinC), o espetáculo é uma realização é da Cia de Ópera do Espírito Santo (Coes), da Oses e da Secretaria da Cultura (Secult), em parceria com a Fecomércio e o Sesc.

As obras

“D’un Matin de Printemps” (Numa manhã de primavera), de Lili Boulanger (1893-1918), é uma peça breve e cheia de nuances, que mescla momentos brilhantes com compassos oníricos, de comovente introspecção. A obra foi escrita ao mesmo tempo que “D’un Soir Triste” (Numa tarde triste), entre 1917 e 1918, durante os últimos meses da curta vida da compositora, a essa altura renomada, tendo sido a primeira mulher a ganhar o prestigioso prêmio de composição Prix de Rome.

Em “Rasgos Latinos”, a compositora uruguaia Yanella Bia (1964) apresenta um amplo painel de ritmos latinos, do passado e do presente, criando sonoridades ricas, utilizando a ampla paleta de cores da orquestra com grande habilidade.

Em 1896, Amy Beach (1867-1944) estreou sua “Sinfonia Gaélica”, tornando-se a primeira mulher americana a compor e a publicar uma sinfonia. Nascida em New Hampshire, Amy Beach começou a compor essa obra em 1894, utilizando um tema celta, retirado de uma de suas canções, “Dark is the Night”. Escrita em quatro movimentos, a “Sinfonia Gaélica” se tornou muito popular em sua época e tem sido redescoberta nos tempos atuais.

A maestra

Nascida em Volta Redonda, Rio de Janeiro, Sarah Higino é mestre em Música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na qual também é graduada em Piano e Regência Orquestral. Participou de diversos cursos de interpretação pianística, com profissionais consagrados, realizou como solista concertos à frente da Orquestra de Cordas de Volta Redonda, Orquestra Petrobrás Pró-Música, Orquestra Sinfônica Rio e Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo e participou de gravações para rádio e TV em programas que fomentam a arte e cultura. Atuou como regente convidada de diversas orquestras: Academia Juvenil da Orquestra Petrobrás Sinfônica, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Filarmônica de Montevideo, University of Southern Mississipi Symphony Orchestra, nos Estados Unidos, entre outras.

Repertório:

“D’un Matin de Printemps”, de Lili Boulanger

“Rasgos Latinos”, de Yanella Bia

“Sinfonia em Mi Menor, Op. 32 ‘Gaélica’”, de Amy Beach

 

Serviço:
Séries Quarta e Quinta Clássica
Quando: 06/02 (quarta-feira) e 07/02 (quinta-feira)
Horário: às 20h
Local: Sesc Glória, Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória
Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível)
Vendas on-line (quarta-feira e quinta-feira)