― Advertisement ―

spot_img

Sejus inicia implantação do reconhecimento facial nas unidades prisionais

A Secretaria da Justiça (Sejus) já realizou, aproximadamente, sete mil cadastros no serviço especializado de identificação biométrica facial da população carcerária. O cadastramento segue sendo realizado em demais unidades prisionais do Estado e os testes de identificação foram iniciados neste mês na Penitenciária Semiaberta de Cariacica (PSC). O Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC) já conta com o sistema em funcionamento.

Nesta fase do trabalho, a prioridade é o cadastro dos presos do regime semiaberto. A identificação biométrica facial vai permitir o controle mais eficiente das liberações dos internos para o trabalho externo e nas saídas temporárias, proporcionando mais segurança nos procedimentos operacionais.

A diretora do Centro Prisional Feminino de Cariacica, Patricia Castro, destaca que o reconhecimento facial implantado recentemente na unidade feminina tem proporcionado uma identificação mais precisa das internas que saem para trabalhar externamente, tornando o processo de controle mais eficiente e seguro.

“Com a implantação do sistema de reconhecimento facial, a unidade prisional tem conseguido aprimorar o monitoramento dos presos do regime semiaberto, promovendo um ambiente mais seguro para todos os envolvidos. Além disso, a tecnologia também contribui para a redução de erros humanos no processo de identificação, garantindo maior confiabilidade nas informações registradas”, enfatizou Patricia Castro.

Contratado no ano passado, a expectativa é concluir o cadastramento de toda a massa carcerária no segundo semestre deste ano. A tecnologia vai automatizar a gestão do sistema prisional e permitir a integração com demais órgãos da segurança pública.

O secretário de Estado da Justiça, Rafael Pacheco, destaca que o uso da tecnologia é essencial para a gestão do sistema prisional. “A tecnologia é uma grande aliada da segurança pública e da gestão do sistema prisional. Não podemos vislumbrar um outro cenário para a eficiência do nosso trabalho sem o auxílio da tecnologia e é nesse sentido que estamos caminhando. Implantando o reconhecimento facial em todo o sistema prisional, adquirindo novos equipamentos como os scanners corporais, portas de detecção, câmeras de videomonitoramento, entre tantos outros recursos, que só agregam valor ao trabalho operacional e de gestão realizado nas unidades prisionais do Estado”, disse Rafael Pacheco.

O cadastramento já foi concluído nas unidades: Penitenciária de Segurança Máxima 1 (PSMA1), Centro de Triagem de Viana (CTV), Penitenciária Semiaberta de Vila Velha (PSVV), Casa de Custódia de Vila Velha (Cascuvv), Penitenciária de Segurança de Vila Velha 6 (PEVV6), Penitenciária Regional de Linhares (PRL), Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL) e Penitenciária Semiaberta Masculina (PSMCOL), onde os testes de identificação ainda não foram iniciados.