― Advertisement ―

spot_img

Posso tomar a vacina contra a dengue?

Atualmente, existem duas opções de vacina para dengue aprovadas pela Anvisa no Brasil. A Dengvaxia, da Sanofi, e a Qdenga, da empresa chamada Takeda....

Funcultura: HeptaSopro e Léo de Paula navegam pela tradição da música instrumental brasileira

De um lado, um duo de violão e flauta especializado no choro e nas diversas matrizes da música instrumental brasileira; de outro, um percussionista reconhecido pelo amplo conhecimento nos ritmos afro-brasileiros e de origem banta. O resultado desse encontro é o álbum “HeptaSopro convida Léo de Paula”, que chega às plataformas digitais no próximo dia 16. Na mesma data, às 20h, os artistas apresentam um show de lançamento no auditório do Cemuni IV, no campus de Goiabeiras da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), com entrada gratuita.

Reunindo 12 composições que passeiam principalmente pelo choro e pela diversidade de gêneros musicais brasileiros, o álbum conta com recursos do Fundo de Cultura do Estado do Espírito Santo (Funcultura), tendo sido contemplado pelo Edital 12/2022 – Produção Musical, da Secretaria da Cultura (Secult). 

Formado pelo violonista de sete cordas Luciano Furtado e pelo flautista e compositor Matheus Viana, o HeptaSopro está em atividade desde 2017, quando os músicos se conheceram na oficina de prática de conjunto no Festival de Inverno de Domingos Martins.

Desde então, o duo vem desenvolvendo um trabalho consistente na área da música instrumental brasileira, tendo como espinha dorsal o choro e o samba, passeando também por compositores contemporâneos como Guinga, Toninho Horta e Hermeto Pascoal. As composições próprias, de autoria de Matheus Viana, trazem arranjos originais pensados para explorar ao máximo as especificidades de cada instrumento.

Em 2021, o duo criou o projeto “HeptaSopro convida Léo de Paula”, que teve sua primeira aparição pública com o material audiovisual gravado por meio da Lei Aldir Blanc, com 16 faixas autorais registradas em áudio e vídeo. No ano seguinte, o projeto ganhou os palcos da Grande Vitória e do interior do Espírito Santo, culminando com uma apresentação no Marien Calixte Jazz Music Festival, em 2023.

A experiência nos shows colaborou para sedimentar a construção do álbum, gravado no Estúdio Bravo, em Vitória. A parceria entre eles foi cercada por afinidades. “A ideia de convidar o Léo de Paula foi uma decisão mútua do duo. Primeiro porque ele foi professor do Luciano durante muito tempo, e depois pela afinidade musical entre os três, que é grande”, explica o flautista Matheus Viana. 

“O Léo é um percussionista extremamente inventivo e traz consigo toda a bagagem da música afro-brasileira na sua performance. A soma da estrutura percussiva dele com a estética quase contrapontística do HeptaSopro é realmente um casamento interessante”, acrescenta o músico e autor das 12 faixas gravadas no álbum.


Arranjos
O entrosamento do trio se concretiza em arranjos que expressam diferentes visões musicais. Entre os temas de andamento cadenciado e repletos de delicadeza, destacam-se “Amora”, que traz sabor de infância para o compositor, e “Ennio e Vinicius”, homenagem a Ennio Morricone e Vinicius de Moraes, composta por Matheus Viana no dia da morte de Morricone – genial autor de trilhas sonoras que marcaram época no cinema mundial, como “Era uma vez no Oeste” (1968) e “Cinema Paradiso” (1988).

Na seara do choro, despontam arranjos com diferentes nuances: “Choro torto”, de andamento acelerado, remete aos choros buliçosos de Jacob do Bandolim; “Distraído”, de ritmo médio, tem melodia marcante pontuada pela flauta; e “Varandão em Pelotas”, conforme destaca Matheus Viana, é a faixa que mais se aproxima da tradição chorística propriamente dita, com sua levada dolente e o diálogo entre violão de sete cordas e flauta conduzido pelo pandeiro remansado de Léo de Paula.


Samba
Em meio às incursões pelo choro, surge o inusitado samba “Evans no samba”, em homenagem ao influente pianista de jazz norte-americano Bill Evans, no qual brilham a cuíca e a percussão múltipla de Léo de Paula. Para Luciano Furtado, essa diversidade de ritmos e abordagens reflete a sonoridade do HeptaSopro. “O HeptaSopro tem como base o choro, mas o Matheus traz muito do jazz e da bossa nova, com harmonias mais rebuscadas e bastante improvisação. O público pode esperar um disco e também os shows com bastante interação entre os músicos e faixas que evocam sentimentos diferentes de cada pessoa”, observa.

Serviço:
Show de lançamento do álbum “HeptaSopro Convida Léo de Paula”
Quando: 16/05 (quinta-feira)
Horário: às 20h
Local: Auditório do Cemuni IV, Ufes, Av. Fernando Ferrari, Goiabeiras, Vitória
Entrada gratuita

A partir da mesma data, o álbum estará disponível em Spotify, Apple Music, Deezer, YouTube Music, Tidal e demais plataformas.