― Advertisement ―

spot_img

Prefeitura realizará a entrega de títulos de propriedade de imóveis; veja a lista

A prefeitura de Barra de São Francisco, por meio da Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária, vai realizar a 1ª entrega de títulos...

ES: homem morre com suspeita de intoxicação após comer baiacu

 

Um homem de 46 anos, identificado como Magno Sérgio Gomes, morreu na manhã deste sábado (27), em um hospital particular de Vitória, após passar 35 dias internado, com suspeita de intoxicação por uma substância tóxica presente no peixe baiacu, em Aracruz, no Norte do Espírito Santo.

Em entrevista concedida à Rede Notícia, Myrian Gomes Lopes, irmã de Magno, contou que o irmão ganhou o baiacu de um amigo, e na casa de Magno, eles limparam o peixe e feverventaram o fígado do baiacu, e comeram o órgão do animal com sal e limão. Depois disso, Magno e o amigo começaram a passar mal, sentindo ânsia de vômito. Magno, foi dirigindo o próprio carro até o Hospital São Camilo, em Aracruz, onde logo após ele ser atendido, teve uma parada cardíaca, e precisou ser reanimado por cerca de 8 minutos. Ele foi intubado e transferido para um hospital particular de Vitória, onde passou por vários exames em coma induzido, vindo a óbito neste sábado (27).

Segundo a irmã, o amigo de Magno que também comeu do fígado do baiacu também chegou a ir para o hospital, onde permaneceu internado por uma semana.

A Prefeitura de Aracruz informou que dois homens deram entrada no Hospital São Camilo, sendo que um deles, foi trasnferido para um hospital da rede privada na Grande Vitória.  Disse ainda que desde a admissão dos pacientes ao hospital, a vigilância em saúde da cidade foi informada “realizando notificação e todos os protocolos de intoxicação exógena”.

A Unimed Vitória diz que não divulga informações de pacientes. A reportagem demandou o Hospital São Camilo, em Aracruz, e também a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Este texto será atualizado quando houver retorno.

Os baiacus, também conhecidos como peixes-bola, são peixes venenosos que podem ser encontrados com frequência ao longo da costa brasileira. No Brasil, os tipos mais pescados de baiacus são os baiacus-araras ou baiacus-lisos e os baiacus-pintados. A ingestão desses peixes pode levar a complicações neurológicas, que se manifestam por meio de sintomas como dormência na boca e nas extremidades, fraqueza muscular, distúrbios visuais e outros sinais. Além disso, a intoxicação por baiacus pode causar náuseas, vômitos, dores abdominais e diarreia. Em casos mais graves, podem ocorrer convulsões e até mesmo parada cardiorrespiratória nas primeiras 24 horas após a ingestão.

Segundo o Centro de Atendimento Toxicológico do Espírito Santo (Toxcen), a ocorrência de intoxicação após o consumo da carne de baiacu é rara e existem poucos registros desse tipo de episódio no estado.