― Advertisement ―

spot_img

Bolsa Família: pagamentos continuam nesta quarta-feira (22)

Nesta quarta-feira, 22 de maio, a CAIXA realiza o pagamento do Bolsa Família para os beneficiários com o Número de Identificação Social - NIS,...

Desembolso do crédito rural chega a R$ 347,2 bilhões em 10 meses, aponta Mapa

O montante do desembolso do crédito rural do Plano Safra 2023/24 atingiu a marca de R$ 347,2 bilhões durante um período de 10 meses, no período de julho de 2023 a abril de 2024. Isso representa um aumento de 15% em comparação com o mesmo período da safra anterior. As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Charles Dayler, engenheiro agrônomo, aponta que o valor deve beneficiar toda a cadeia do agronegócio, já que é destinado para custeio, investimento, manutenção e distribuição.

Os financiamentos destinados ao custeio receberam um total de R$ 191 bilhões em aplicação. Enquanto isso, as contratações das linhas de investimento totalizaram R$ 83 bilhões. As operações voltadas para comercialização registraram R$ 45 bilhões — e as destinadas à industrialização, R$ 27 bilhões.

“Esse recurso vai ajudar. Principalmente porque em relação ao ano passado, a gente teve problema de quebra de safra. Então vamos melhorar na produtividade, no escoamento. Isso tende a trazer Impacto positivo, não é no setor de agronegócio que tem um peso importantíssimo no PIB [Produto Interno Bruto]”, explica.

Durante os nove meses do ano agrícola, foram realizados 1.832.791 contratos, dos quais 1.375.988 foram no âmbito do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) e 164.271 no Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural).

El Niño

Dayler destaca que o valor de R$ 347,2 bilhões representa 80% do total planejado para a atual safra de todos os produtores, incluindo pequenos, médios e grandes, que é de R$ 435,8 bilhões.

“Ou seja, já tem recurso aplicado no campo. Então em termos financeiros o trabalho está sendo bem feito. Temos expectativa de ganhos, ainda mais porque esse ano a gente tende a ter um efeito mais tênue do El Niño, do que no ano passado. Em termos de produtividade, os números devem ser melhores”, aponta.

João Crisóstomo, consultor de agronegócios da BMJ Consultores Associados, ressalta que o El Niño foi um desafio nos últimos meses, na safra 2023/2024, provocando um atraso nas chuvas — e, consequentemente, na semeadura e colheita.

“Principalmente no Centro-Oeste, onde foi observado esse atraso nas chuvas no Mato Grosso. E os efeitos El Niño vão ter reverberações tanto na produtividade quanto na área plantada, principalmente da soja, que é a cultura mais representativa no Mato Grosso”, aponta.

Ele destaca que, apesar das dificuldades, o agronegócio tem um ciclo virtuoso de cerca de sete e oito anos, batendo recordes. Nesse contexto, alguns produtores rurais conseguiram se preparar para esse momento, mas existe uma parcela prejudicada com a adversidade climática, por isso é importante ter o apoio do governo.

Leia mais:

Setor agrícola está entre os que mais sofrem com as chuvas no RS<\/a>

Com 31 novos mercados abertos para o agronegócio, Brasil amplia presença dos produtos no mercado mundial<\/a>

Plano Safra aumenta em 15% valores da safra anterior Foto: Arquivo/Agência BrasilPlano Safra aumenta em 15% valores da safra anterior Foto: Arquivo/Agência Brasil