― Advertisement ―

spot_img

Cerveja, vinho e caipirinha de graça: Pomitafro 2024 deve reunir 40 mil pessoas

A tradicional festa Pomitafro, maior festival de integração étnico-cultural da região sudeste, celebra sua 25ª edição nos dias 30 e 31 de agosto e...

Sesa inicia atendimento de alto risco materno e de leitos de UTIN no norte do Estado

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (Sesa), deu início, nesta quinta-feira (1º), ao atendimento de maternidade de alto risco e da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) no Hospital Maternidade São Mateus, no município de São Mateus, no norte do Estado. Antes do investimento, a região não contava com o serviço. 

O serviço funcionará por meio de convênio do hospital com a Sesa, que contratualizou os leitos e investiu R$ 11.477.160 para a reforma e a ampliação da Maternidade, sendo R$ 6,65 milhões para a compra de equipamentos. Com a ampliação, foram abertos 50 novos leitos na unidade para a assistência materno-infantil, com salas pré-parto, parto e puerpério; 23 leitos de risco habitual; dez de Terapia Intensiva Neonatal; e sete leitos de alto risco.

Nesta quarta-feira (31), foi realizada a solenidade de inauguração do serviço de UTI Neonatal do Hospital Maternidade São Mateus, que contou com a presença do subsecretário de Estado de Regulação do Acesso em Saúde, Gleikson Barbosa, do superintendente regional de saúde Edilson Monteiro, entre outras autoridades. “Hoje damos mais um passo em direção a regionalização da saúde, que é um compromisso do Governo do Estado, com a abertura de um serviço completo e tão importante para a população”, destacou o subsecretário.
O superintendente Edilson Monteiro comemorou: “Um dia histórico, com o início de um serviço que vai acolher e abraçar a população, dando dignidade às pessoas e qualidade na assistência. Uma conquista de todos, de homens e mulheres que escrevem história em São Mateus”, disse. 

Para fazer o atendimento de gestantes de alto risco, é necessário que o hospital tenha leitos de UTIN e a região norte não tinha atendimento de urgência e emergência para esses casos. As gestantes eram, então, encaminhadas para o atendimento nos hospitais Rio Doce, em Linhares, ou São José, em Colatina. 

A referência técnica da Rede Materno-Infantil na Superintendência Regional de Saúde (SRS) de São Mateus, Rita de Cássia Santos Costa Santa Ana, explicou que o objetivo é deixar o atendimento mais próximo das gestantes e destacou que a entrega do projeto traz ganhos sociais, econômicos e emocionais. 

“Por mais que a gente tenha o suporte avançado para fazer o transporte, é mais seguro ter uma equipe para intervir de forma imediata, com profissionais qualificados, equipamentos e medicamentos especializados. A finalização desse projeto atende a essa necessidade de ter esse serviço mais perto do território em que a gestante reside. A UTIN não é só o leito e as intervenções médicas necessárias. Toda dinâmica familiar é alterada em função da recuperação desse recém-nascido. Então, até a alta, é necessária também a humanização da atenção para esses familiares”, pontuou Rita de Cássia Santos.

Contratualização
Para o funcionamento dos novos leitos contratualizados, a Secretaria da Saúde fará repasses de R$ 1.348.759 por mês para o hospital. Antes das obras, a unidade dispunha de 20 leitos materno-infantil. Além dos leitos, a reforma também ampliou os setores de banco de leite, agência transfusional, laboratório de análise clínica, lactário e a central de material esterilizado. 

Com a contratualização dos leitos, o Hospital Maternidade São Mateus passou a ser a referência para dez municípios da regional Norte de Saúde, com as exceções de Jaguaré, que continuará com atendimento no Hospital Rio Doce; e Água Doce do Norte, Barra de São Francisco e Ecoporanga, que a referência continua o Hospital São José.