― Advertisement ―

spot_img

Desoneração da folha contribuiu para a criação de 9,3 milhões de empregos; aponta Brasscom

Entre janeiro de 2017 e fevereiro deste ano, foram registrados 9,3 milhões de empregos formais nos 17 setores desonerados; aponta o levantamento da Associação Brasileira...

Imprensa Oficial do Espírito Santo contrata empresa para preservar acervo histórico

O acervo histórico do Diário Oficial do Espírito Santo – composto por edições da década de 1930, jornais internos, livros impressos pela autarquia, registro funcional dos servidores entre outros itens valiosos – está abrigado em um local seguro e que dispõe de condições apropriadas para preservação. Isso porque o DIO/ES contratou uma empresa especializada na guarda e conservação de documentos. A Arquivo Contemporâneo já retirou o acervo da antiga sede da autarquia e agora está no processo de organização de todo o material em um espaço físico próprio da instituição.

“Ao preservar este acervo em um local seguro, estamos garantindo que as histórias e memórias do passado continuem a inspirar e educar as gerações futuras. Este tesouro de conhecimento não apenas nos conecta com nossas raízes, mas também nos ajuda a compreender melhor a história do Espírito Santo. Em um mundo em constante mudança, proteger nossa herança histórica é mais do que um dever – é uma promessa de manter viva a chama da história para as gerações por vir”, destacou a diretora-geral da Imprensa Oficial do Espírito Santo, Sandra Shirley de Almeida.

Ao lançar o edital para contratação da empresa, o DIO/ES solicitou que o local fosse equipado com sistemas avançados de controle de temperatura e umidade, além de medidas de segurança física e proteção completa contra ameaças como fogo, inundação e danos causados pelo tempo.

Além disso, o acesso aos documentos será parametrizado, com regras de segurança de manuseio para garantir a segurança e a preservação do material a longo prazo. Assim sendo, pesquisadores, historiadores, estudantes e público em geral devem seguir procedimentos específicos para solicitar acesso aos materiais, garantindo que sejam manuseados com o devido cuidado.

“Temos um projeto futuro de fazer um museu para que a população em geral tenha acesso a esse material riquíssimo que dispomos, principalmente as edições antigas do Diário Oficial do Espírito Santo. Vivenciamos em cada edição a história do povo capixaba, por meio da publicação das leis, decretos, instruções normativas, portarias e tantos outros temas de interesse público”, completou a diretora-geral do DIO/ES.