― Advertisement ―

spot_img

A importância da atualização constante na área da saúde

Desde novos tratamentos até tecnologias emergentes, a medicina está em constante evolução, e acompanhar essas mudanças é essencial para oferecer o melhor atendimento ao...

Como funciona o consórcio: Um guia completo para iniciantes

Com um consórcio, você consegue realizar o sonho de adquirir um bem de forma mais rápida comparada com um financiamento. Descubra neste artigo o que é um consórcio e como pode ser benéfico para você!

Entenda o que é um consórcio?

O consórcio é uma compra colaborativa, permitindo que os participantes adquiram bens por meio de pagamentos fixos mensais. A cada mês, um ou mais integrantes do grupo é contemplado com uma carta de crédito, o que permite a aquisição do bem em questão.

Esta modalidade é diferente quando comparada com um financiamento bancário tradicional, uma vez que o valor de crédito é antecipado e as cobranças de juros são contabilizadas sobre o valor emprestado.

Como funciona o processo de um consórcio?

Saber como funciona o consórcio é essencial para entrar nesta modalidade sem se prejudicar. O consórcio começa quando o grupo é formado por pessoas que desejam o mesmo valor de carta de crédito.

Com o grupo já formado, os prazos são definidos e preestabelecidos pelo número total de participantes, que devem pagar mensalmente a quantia estipulada para que todos consigam obter chances iguais nos sorteios. Entenda mais detalhes:

Formação do grupo de consórcio

A formação do grupo é realizada pela própria administradora do consórcio, que fica com a responsabilidade de reunir um número específico de pessoas com o mesmo objetivo em comum: adquirir um bem por meio de um consórcio.

Atente-se à administradora escolhida e veja se esta é regulada pelo Banco Central do Brasil, o que garante uma maior segurança e transparência durante todo o processo.

Contribuições mensais

Assim que o valor é estipulado, são calculados os valores mensais que cada participante deve depositar. As contribuições, então, são depositadas em um fundo comum manejado pela administradora.

Por exemplo, se os participantes desejam adquirir um bem no valor de R$50.000,00 em um consórcio de 50 meses, a contribuição mensal é de R$1.000,00, acrescidos das taxas administrativas e do fundo de reserva ou proteção.

As taxas administrativas variam conforme a operadora, e são diluídas ao longo das parcelas mensais pagas por todos os participantes do grupo. Essas taxas cobrem os custos de gestão do consórcio e garantem sua operação eficiente e segura.

O fundo de reserva, ou proteção, é um valor mensal depositado pelos participantes para garantir o funcionamento da operação do consórcio, uma vez que é possível que algum participante pare de contribuir.

Este fundo só é utilizado em casos de emergências, e caso ele não seja utilizado pelo grupo, ou seja, parcialmente usado, o valor é dividido e devolvido a todos os participantes que tiveram suas contas quitadas.

Sistemas de sorteio e lance

Existem duas formas principais que os participantes são contemplados, são elas por meio de lances e sorteios que os consorciados dos grupos possuem o direito de ganhar.

Os sorteios são realizados de forma mensal, do qual todos os participantes possuem uma chance igualitária a serem sorteados. Geralmente, as administradoras realizam o sorteio utilizando os números da loteria ou métodos similares, garantindo a imparcialidade no processo.

Já os lances são ofertas adicionais que os consorciados podem fazer para antecipar a carta de crédito, ou seja, a etapa final. No lance livre o participante oferece o valor que desejar, já o lance fixo, o valor é definido pela administradora, do qual o maior lance dado, o participante ganha. É importante mencionar que o participante deve continuar cobrindo as próximas parcelas.

Há também o lance embutido, do qual é necessário possuir o dinheiro para realizar a oferta utilizando parte da carta de crédito que ainda não foi sorteada.

Carta de crédito

Quando o participante do consórcio é contemplado com uma carta de crédito, esta equivale ao valor total do bem desejado no contrato, assim, o consorciado pode utilizar para uma compra imediata sem nenhuma burocracia.

Ou seja, a carta de crédito oferece flexibilidade ao participante, uma vez que permite a negociação de desconto à vista com o vendedor, o que pode beneficiar o consorciado por possuir uma economia abrangente. Aqui neste artigo, você pode conferir mais detalhes sobre a carta de crédito!

Vantagens e desvantagens de participar de um consórcio

Após entender como funciona o consórcio, é necessário pontuar que este tipo de modalidade é repleta de vantagens que asseguram o consorciado a conseguir o tão desejado bem, porém existem também algumas desvantagens. Confira:

Benefícios do consórcio

Saber como funciona o consórcio é um ótimo passo rumo à estabilidade financeira, ainda mais quando esta modalidade oferece diversos benefícios. Conheça os pontos positivos de um consórcio:

  • Ausência de juros: em comparação com financiamentos bancários tradicionais, o consórcio leva uma grande vantagem de não cobrar por juros. Esta modalidade cobra uma taxa administrativa apenas;
  • Planejamento financeiro: como o consórcio é pago mensalmente por todos os participantes, as parcelas fixas auxiliam em um valor mais baixo de entrada e, consequentemente, um melhor planejamento financeiro;
  • Compra à vista: um dos melhores benefícios do consórcio é a possibilidade de ter o dinheiro à vista, com a carta de crédito. Assim, o bem desejado pode ser negociado com o dinheiro à vista, o que possibilita descontos no ato da compra;
  • Contemplação diversificada de bens: o consórcio pode ser utilizado para diversos bens, como realizar o sonho de ter uma casa ou automóvel próprio, entre outros.

Considerações e riscos

Há considerações necessárias a serem pontuadas quando uma pessoa deseja entrar em um grupo de consórcio. Descubra quais são os riscos e as desvantagens que o consórcio apresenta:

  • Tempo de espera: O tempo de espera varia conforme a contratação do consórcio, mas, apesar de o participante poder ser sorteado rapidamente, ou para oferecer um lance, existe a possibilidade de esperar por alguns meses ou anos.
  • Taxa de administração: Embora o consórcio não possua juros, diferente dos financiamentos, as taxas administrativas devem ser colocadas na ponta do lápis, pois devem ser acrescidas no valor total.
  • Atrasos: O atraso no pagamento mensal dos demais participantes do grupo pode gerar um atraso na contemplação da carta de crédito, além do recebimento de um montante menor, quando pensado que o dinheiro do fundo supriu a falta de recebimento dos demais presentes.

Outro risco inclui a desistência de demais participantes. Ainda que a desistência possua multa, chegando a 30% do valor da carta de crédito, o valor investido somente será recebido quando o consórcio for finalizado, o que pode demorar alguns anos.

Dicas para quem está pensando em entrar em um consórcio

Agora que você entende como funciona o consórcio, e está a um passo de tornar o seu sonho em realidade, saiba essas dicas essenciais para quem for realizar o seu primeiro consórcio:

  • Leia as regras: ler atentamente o contrato e entender cada regra, taxa e condições é uma forma jurídica de se precaver caso a administradora não realize o que foi combinado.
  • Escolha uma administradora confiável: para entrar em um consórcio tranquilamente, confira se a mesma é autorizada pelo Banco Central do Brasil a realizar o serviço, além de conferir se a mesma possui uma boa reputação no meio.
  • Se planeje financeiramente: o consórcio é um investimento mensal com limite máximo de 180 meses, ou seja, pode chegar até 15 anos para ser concluído, do qual o participante deve ter comprometimento financeiro para não atrasar os pagamentos.
  • Use a estratégia a seu favor: parte de saber como funciona o consórcio é entender como dar lance no consórcio, isso é, saber o melhor momento para realizar um lance ou sorteio.
  • Acompanhe as assembleias: as reuniões entre os participantes é uma ótima forma transparente de saber o montante já arrecadado, além de realizar os lances ou sorteios da carta de crédito.
  • Não esqueça dos prazos: para usufruir cada parte do consórcio, o participante deve ter em mente o prazo do contrato, ou seja, o tempo que o bem irá demorar para ser adquirido.

Investir em um consórcio pode ser uma excelente alternativa para quem deseja adquirir bens de forma planejada sem os custos de um financiamento, mesmo que um planejamento financeiro deva ser consultado para melhores resultados. Por isso, siga nossas dicas e encontre o melhor contrato. Gostou do artigo? Compartilhe-o com seus amigos!