― Advertisement ―

spot_img

Caminhada no centro de Barra de São Francisco contra exploração sexual infantil

Dentro da programação do Maio Laranja, movimento que visa o combate ao abuso sexual infantil, aconteceu nesta, quarta-feira (15), às 9h, uma caminhada do...

Caso Samanta: investigadores querem saber quem está usado perfil de desaparecida em Pinheiros

 

A Polícia Civil quer saber quem está usando o perfil no Instagram da menina Samanta Teixeira de Oliveira Teodoro, de 14 anos, vista pela última vez na noite de 22 de março, em São João do Sobrado, interior de Pinheiros, no Norte do Espírito Santo. A informação é de Wilson Rodrigues, da Rede Notícia.

A reportagem teve acesso, e repassou aos investigadores, prints que mostram que o perfil atribuído a menina está seguindo outros perfis nas redes sociais, mesmo após o desaparecimento dela. Prática é considerada crime, segundo fontes da Polícia Civil ouvidas pela reportagem, e pode atrapalhar a investigação.

O sumiço da menina completou 22 dias neste sábado (13). Até o momento, a Polícia Civil se limita a dizer que “as investigações da Delegacia de Polícia de Pinheiros estão em andamento”.

Samanta desapareceu na noite do dia 22 de março, quando saiu da casa dos avós com quem mora, no Assentamento Olinda I, para ir ao distrito de Sobrado, em Pinheiros.

“Ela saiu com a roupa do corpo. Até hoje não sabemos nada do paradeiro dela. Nem um sinal. Estamos sem saber o que fazer, desesperados, sem notícias dela”, disse a tia. Qualquer informação que possa apontar o paradeiro de Samanta, pode ser repassada pelos telefones: (27) 99935-4272 – Jocilene; (27) 99773-6771 – Jocimara; que são tias da Samanta.

Em nota, a Polícia Civil informou que as investigações da Delegacia de Polícia de Pinheiros estão em andamento, porém até o momento a adolescente não foi localizada. Segundo a corporação, “informações que possam auxiliar no trabalho de investigação de pessoas desaparecidas podem ser passadas de forma sigilosa por meio do Disque-Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas”.

Na segunda-feira (8), familiares e amigos fizeram uma manifestação no distrito de Sobrado, e cobraram respostas.