― Advertisement ―

spot_img

PARALISIA INFANTIL: poliovírus ainda circula pelo mundo e pode se reintroduzido no Brasil

A poliomielite foi erradicada do Brasil em 1989 após uma intensa campanha de vacinação nas crianças. No entanto, a queda na cobertura vacinal nos...

Hospital Jayme Santos Neves realiza três captações múltiplas de órgãos em menos de 72 horas

Entre a sexta-feira (23) e a segunda-feira (26), o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, realizou três captações de órgãos. Foram captados fígado, dois rins e duas córneas, de um dos doadores, e as córneas dos dois outros. Os órgãos beneficiaram nove pessoas que aguardavam na fila por um transplante.

O diretor-geral do Hospital Dr. Jayme Santos Neves, Joubert Andrade da Silva, agradeceu aos familiares pelo ‘sim’ e parabenizou toda equipe pela atuação. “Entendemos e respeitamos o momento de luto dos familiares, mas quando a decisão pela doação é feita, levamos em conta que outras famílias, que aguardam ansiosas por um órgão, se sentem aliviadas e, de certa forma, a vida continua. Já tivemos outras captações de órgãos aqui no hospital, mas em um período de tempo tão curto como este, foi a primeira vez. Parabéns a todas as equipes envolvidas e os nossos agradecimentos às famílias que autorizaram os transplantes”, disse.

A enfermeira Giseli Fonseca contou, emocionada, como foi participar dos procedimentos: “Saio do plantão com coração cheio de esperança e com sentimento de gratidão por este gesto tão lindo de solidariedade e amor ao próximo. O processo, às vezes, é um pouco demorado e estressante, mas existe muita responsabilidade desde o momento da abordagem até a realização da captação”, explicou a enfermeira.

Em um dos casos, a família destacou que o ente falecido sempre conversava sobre a vontade de ser doador. Eles destacaram que em vida o familiar afirmava que, se algo acontecesse algum dia, e se algum órgão pudesse ser doado, esta seria a sua decisão.

“É muito gratificante saber que estamos salvando pessoas e garantindo uma melhor qualidade de vida com o gesto de gratidão de um simples ‘sim’ que a família enlutada nos dá após a entrevista para doação”, disse Viviani Miranda Rodrigues Oliva, enfermeira da Comissão Intra Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital Dr. Jayme Santos Neves.

 

Como Doar

Se você deseja ser doador de órgãos e tecidos, a primeira coisa a fazer é avisar a sua família sobre a sua vontade. É importante falar para a sua família que deseja ser um doador de órgãos, para que após a sua morte, os familiares possam autorizar a doação e retirada dos órgãos e tecidos. No País, a doação de órgãos e tecidos só é realizada após a autorização familiar.

 

Dados

Até esta segunda-feira (26), 2.370 pacientes aguardam por um órgão no Estado, sendo 1.199 para rim, 1.133 para córnea, 33 para fígado e cinco à espera de um coração.