― Advertisement ―

spot_img

Quais são os primeiros sinais de imunidade baixa na mulher?

A imunidade é o sistema de defesa do nosso corpo contra infecções e doenças. Quando esse sistema está comprometido, pode levar a uma série...

Esporte traz desenvolvimento e socialização para pessoas com TEA

Praticar esporte é um hábito bastante recomendado pelas autoridades de saúde graças aos benefícios que pode proporcionar para o corpo e a mente. As vantagens da atividade física podem ser percebidas por todas as pessoas, mas há um grupo que pode colher frutos ainda mais significativos ao manter o corpo ativo: aqueles com Transtorno do Espectro Autista (TEA). 

O esporte auxilia no desenvolvimento e na socialização, por isso, as vantagens da prática para quem tem TEA tem sido tema recorrente de pesquisas. O avanço dos estudos contribui para o trabalho feito por grupos, associações e profissionais que atuam com clínica de neurodesenvolvimento dando suporte aos pacientes e familiares.

Segundo o Diretor do Núcleo de Autismo do Espaço CEL, Dyego Oliveira, o TEA, também conhecido apenas como autismo, é um transtorno de neurodesenvolvimento que afeta as habilidades de comunicação e interação social. Por esse motivo, pessoas dentro do espectro podem apresentar padrões de comportamento repetitivos, hiperfoco, hipersensibilidade a estímulos sensoriais, entre outras características. 

Pesquisas mostram que o esporte pode ajudar com relação a esses padrões. Para isso, é fundamental que, a partir do diagnóstico de autismo, os pais ou responsáveis procurem por profissionais qualificados que possam direcionar as melhores atividades e alternativas capazes de garantir o desenvolvimento da criança ou adulto.

Ainda de acordo com Dyego, na maioria dos casos, o diagnóstico do TEA costuma ocorrer antes dos três anos, já que os sinais aparecem cedo e podem ser observados durante a consulta com o médico pediatra. 

Entre as formas mais citadas de como tratar autismo está o direcionamento multidisciplinar, englobando médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, pedagogos, psicólogos e outros profissionais. Em alguns casos, as medicações podem ser prescritas. 

Benefícios do esporte para as pessoas autistas

A Associação dos Amigos dos Autistas de Videira, em Santa Catarina, destaca que as atividades esportivas devem ser adaptadas às necessidades sensoriais e motoras, de maneira contínua, para cada pessoa dentro do espectro. 

Ao praticar esportes, as pessoas autistas podem desenvolver uma série de habilidades. De acordo com a Associação Brasileira de Psicologia do Esporte (Abresp), elas costumam apresentar melhoras no desenvolvimento motor, no comprometimento social e comunicativo e na saúde emocional. Além disso, muitos podem vir a se tornar atletas e encontrar no esporte o caminho para a vida profissional. 

Desenvolvimento motor 

Um dos primeiros benefícios percebidos nas pessoas dentro do espectro que praticam alguma atividade física é o desenvolvimento motor. Modalidades como corrida, natação, dança e artes marciais envolvem movimentos físicos e auxiliam na coordenação, no equilíbrio e na força muscular. 

De acordo com estudo “Efeitos do exercício físico para a melhora na qualidade de vida em crianças com transtorno do espectro autista” feito pelo acadêmico da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Ademir Bento, a melhora nos aspectos físicos motores cooperam para o desenvolvimento social e cognitivo. Dessa forma, o déficit de atenção e a hiperatividade são minimizados em larga escala, proporcionando uma melhor qualidade de vida. 

Interação social e comunicativa 

Os esportes em equipe podem ajudar os autistas a melhorarem a interação social e comunicativa. Ao participar de times ou grupos esportivos, eles aprendem a cooperar, respeitar regras, superar os desafios da comunicação e lidar com vitórias e derrotas. 

O estudo “O transtorno do espectro autista e os benefícios da prática do futebol”, publicado pela Revista Owl, aponta que o movimento corporal pode auxiliar na redução do comportamento estereotipado relacionado à socialização, interação e comunicação. Atividades como basquete, futebol e, até mesmo, a prática de yoga em grupo podem auxiliar.  

Saúde emocional 

A pesquisa publicada na Revista Owl também revela que o esporte é um agente importante para autoestima, motivação, obediência e desempenho independente. Por meio das atividades físicas, é possível obter uma melhora no estado emocional, na atenção, na concentração e no sono. Também há redução da ansiedade e da agressividade.

Diferentes estudos corroboram com a afirmação que os exercícios físicos podem ajudar a reduzir a ansiedade e proporcionar uma liberação da tensão, o que também pode ser benéfico para os estereotipados.