Webinário fortalece articulação entre Estado e municípios em prol das pessoas com deficiência

Com a participação de representantes de municípios de todas as regiões capixabas, na última semana, ocorreu o Webinário “Rede Intersetorial de Proteção, Atenção e Cuidados para a Pessoa com Deficiência”, entre os dias 26 e 27 de maio, de forma virtual. O evento foi promovido pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH) em parceria com as Secretarias da Saúde (Sesa), da Educação (Sedu) e de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades).

O Webinário teve como objetivo fortalecer a articulação de forma intersetorial entre as secretarias estaduais e municipais, de forma a criar fluxos de trabalho, se aproximar, atender e contribuir com os 78 municípios capixabas, no que tange a garantia, a oferta e o atendimento junto às pessoas com deficiência, considerando que a atenção básica se inicia nos municípios.

Cada dia de evento foi realizado com uma região: sul, norte central e Metropolitana.

A gerente de Políticas para a Pessoa com Deficiência da SEDH, Carline Santos Borges, explicou que no webinário foram apresentadas as políticas públicas estaduais aos gestores e gestoras municipais.

“Isso para que possamos seguir avançando na elaboração, implementação, avaliação e monitoramento de políticas e ações voltados para os direitos das pessoas com deficiência, tendo como pauta a Rede de Proteção, Atenção e Cuidados da Pessoa com Deficiência. Temos a intenção de termos encontros como esse de dois em dois meses, pois os representantes municipais elogiaram nossa iniciativa e disseram que desejam continuar com o diálogo”, disse.

A assessora de Educação Especial da Sedu, Giovanne Berger, explicou que considera muito importante intersetorialidade nas Políticas Públicas do Estado do Espírito Santo por entender que se trata da articulação entre sujeitos de setores diversos, culminando em uma decisão racional no processo de gestão.

“Esse processo envolve diferentes saberes e poderes com vistas a enfrentar problemas complexos, e ainda, entendendo que a intersetorialidade é importante como integração desses diversos setores para a consecução das ações públicas, ao mesmo tempo em que mantém as especificidades de cada área. Vai além de cada setor, buscando a superação de práticas fragmentadas e a eficiência para atingir os objetivos e resultados, que vem de encontro especificamente com a Pasta da Educação Especial, pois nos oportuniza a realizar parcerias, alinhamentos, e reconhecendo as redes de apoio em prol de todas as pessoas com deficiência”, explicou.

A ideia do Webinário surgiu nas reuniões intersetoriais entre SEDH, Setades, Sesa e Sedu, que objetiva fortalecer as Políticas Públicas e potencializar a rede de proteção, atenção e de cuidados para a pessoa com deficiência.

“O Webnário propiciou a interface e a ampliação do conhecimento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), baseado no princípio da incompletude institucional e na necessidade de articulação entre os serviços da Assistência Social, Saúde e Educação para possibilitar a proteção integral das pessoas com deficiência em âmbito estadual. Conhecer a rede de serviços existente e a forma de acessá-los torna o atendimento às pessoas com deficiência mais assertivo no encaminhamos para o atender as necessidades de cada indivíduo e seus familiares”, afirmou a gerente de Proteção Social Especial da Setades, Clarice Campos.

Segundo informações da equipe da Área Técnica da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência da Sesa (GEPORAS), a Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência da Pasta prioriza a assistência integral do cuidado, realizando a promoção de qualidade de vida das PCD, ampliando e fortalecendo os pontos de atenção dessa rede tanto na atenção primária quanto na atenção especializada e atenção hospitalar.

Esse Webnário, para a equipe, foi importante, pois possibilitou dar visibilidade à rede de proteção e cuidado às pessoas com deficiência e permitiu estabelecer parcerias e troca de informações entre Estado e municípios, promovendo o alinhamento e estreitamento do diálogo entre as secretarias para que a inclusão da PCD seja cada vez mais forte e presente e de uma maneira mais resolutiva, sempre procurando reduzir ao máximo as barreiras, principalmente as atitudinais.


Leia mais

Leia também