Vírus zika: prevenir é uma missão de todos

A prevenção do zika vírus é uma missão de todos, uma vez que ele é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, um inseto doméstico (que vive dentro e perto das casas) que se reproduz em qualquer recipiente artificial ou natural que contenha água.

Para evitar sua proliferação é necessário estar atento a qualquer tipo de local que possa acumular a substancia como por exemplo: tonéis, caixas d’água, vasos de plantas, lonas de cobertura, bandejas que ficam atrás da geladeira, entre outros possíveis reservatórios.

O zika vírus é uma das causas da microcefalia em recém-nascidos, que é uma malformação congênita na cabeça devido a alterações no processo de desenvolvimento do sistema nervoso.

Diante disso, o chefe do Núcleo Especial de Vigilância Ambiental, Roberto Laperriere Júnior, orienta sobre os cuidados necessários, principalmente às grávidas, para evitar a picada pelo inseto.

“É importante que todos realizem ações para evitar a proliferação do inseto responsável pela transmissão da doença. Além disso, as grávidas devem tomar cuidado para prevenir a picada, como usar roupas que cubram a maior parte do corpo, usar repelente todos os dias e usar telas de proteção nas janelas de casa”, destacou.

Outra forma de transmissão do zika é por meio do contato sexual desprotegido, então a utilização de preservativos para evitar o contágio do parceiro é muito importante. Os cuidados devem ser redobrados caso a parceira esteja grávida.

 

Veja aqui o 35º boletim da dengue

Veja aqui  o 35º boletim da zika

Veja aqui o 35º boletim da chikungunya

Sintomas

Os sintomas mais comuns do Zika são: febre baixa, dor nas articulações, dor muscular, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, conjuntivite, erupções cutâneas avermelhadas que podem coçar, dor abdominal (pouco comum), diarreia (pouco comum), constipação (pouco comum), pequenas úlceras na mucosa oral (pouco comum).

Após infectar o corpo, o vírus circula na corrente sanguínea por algum tempo, causando febre constante, vermelhidão na pele, no rosto e no olho, coceira, dores de cabeça, musculares e nas articulações, entre outros sintomas mais raros, como diarreia, dor abdominal, fotofobia e conjuntivite.

De qualquer forma, atualmente o CDC (Centers for Disease Control and Prevention) aconselha que as mulheres aguardem ao menos oito semanas, ou seja, dois meses após o início dos sintomas do zika ou após a exposição em área endêmica, antes de tentar engravidar.

 

Recomendações gerais contra o Aedes aegypti, mosquito que transmite o Zika além da Dengue e Chikungunya 

– Mantenha fechadas as tampas de vasos sanitários e de ralos pouco usados, como os de áreas de serviço e de lazer, que tenham a possibilidade de acumular água;

– Se for viajar, feche também os ralos dos banheiros e a tampa dos vasos sanitários;

– Mantenha o quintal sempre limpo, jogando fora o que não é utilizado;

– Deixe o quintal sempre bem varrido, eliminando recipientes que possam acumular água, como tampas de garrafas, folhas, sacolas plásticas etc.;

– Tampe tonéis, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa reservar água;

– Certifique-se de que as lonas de cobertura estejam bem esticadas para não haver acúmulo de água;

– Não deixe acumular água nos vasos de plantas;

– Mantenha a bandeja que fica atrás da geladeira limpa e sem água;

– Coloque garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Se por algum motivo tiver pneus no quintal, mantenha-os secos e abrigue-os em local coberto, ou descarte-os corretamente se não tiverem utilidade;

– Escove bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantenha-os sempre limpos.