Vídeos mostram sexo explícito, uso de drogas e som alto na Rua da Lama, em Vitória

Moradores do bairro Jardim da Penha reclamam de aglomeração ao redor dos bares da região.

O fim de semana se aproxima, mas para muitos moradores de Jardim da Penha, em Vitória, ao invés de descanso, ele tem sido sinônimo de preocupação.

Mesmo com as recomendações para que o isolamento social seja mantido durante a pandemia da Covid-19, as aglomerações ao redor dos bares da Rua da Lama têm sido frequentes. Além do barulho, vídeos flagram também o consumo de drogas e a prática de sexo na rua, mesmo durante o dia.

“O barulho dos carros de som é muito alto, é terrível. Você não consegue se comunicar dentro de casa de tão alto que é. Além disso, há muita gente urinando nas calçadas, há relatos de pessoas que usam drogas na frente dos condomínios, cenas de sexo, entre outras coisas”, contou o coordenador-geral da Associação de Moradores do bairro, Ângelo Del Caro.

Um vídeo registrado no último final de semana por um motorista de aplicativo flagrou o momento em que um casal praticava sexo em uma das ruas do bairro por volta das 6h30.

O motorista, que preferiu não se identificar, afirmou que frequentemente tem presenciado também cenas de desrespeito ao isolamento. Em agosto, segundo ele, houve o registro de um baile funk.

“Eu achei isso uma coisa absurda. Fiquei me perguntando onde está o poder público, as autoridades. Desde o começo da pandemia eu tenho presenciado muita aglomeração. Eles lotam aqueles bares, consomem álcool, entorpecentes, ficam ali até raiar a luz do dia”, disse o motorista.

Imagens feitas por moradores mostram pessoas aglomeradas na Rua da Lama, em Jardim da Penha

O secretário de Segurança Urbana de Vitória, Frônzio Calheira, afirmou que ao longo deste ano já foram realizadas cinco ações integradas entre a Guarda Municipal, a polícia e agentes de fiscalização da Prefeitura para combater os excessos praticados por alguns frequentadores da região.

Ele garante que tais ações continuarão acontecendo, mas faz também um apelo ao bom senso da população, especialmente durante a pandemia.

“O poder público tem poder limitado de interferir na liberdade das pessoas. Cabe a elas usar essa liberdade com responsabilidade, entendendo que estamos em um momento delicado ainda. Pedimos que as pessoas entendam isso e ajudem a gente a atravessar esse momento tão crítico da nossa história”, pontuou.

Frequentadores se aglomeram na Rua da Lama, em Jardim da Penha

 

Leia mais

Leia também