Vice-governadora participa de live ‘Mulheres na Liderança’ com univesitários

Nessa terça-feira (29), a vice-governadora do Espirito Santo, Jacqueline Moraes, participou de um encontro virtual com a temática “Lideranças Femininas”. A live organizada pela Floema Jr., empresa júnior vinculada aos cursos de Engenharia Florestal e Engenharia Industrial Madeireira da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), vem sendo promovida mensalmente e faz parte de uma série de capacitações on-line para os estudantes.

O tema ‘lideranças femininas’ foi abordado pela vice-governadora e pela infectologista e professora da Ufes, Ethel Maciel. As abordagens voltadas, principalmente, para as chamadas “soft skills”. Entre os temas tratados estavam: como assumir a liderança e manter a saúde mental em um momento bastante desafiador e diante de um cenário de incertezas; destaque da liderança feminina em tempos de crise; como conciliar carreira e estudos e as consequências no dia a dia de trabalho; transição de carreira e empreendedorismo; resiliência feminina e outros tópicos relacionados à liderança feminina e seus desafios.

Jacqueline Moraes falou sobre como a falta de representatividade é consequência de um processo histórico e estrutural que só será mudado com o apoio e discussões que promovam a visibilidade de histórias de sucesso e superação de mulheres em cargos de liderança.

“Isso tem origem lá atrás, quando vemos que em determinadas famílias, a mãe coloca os afazeres domésticos para as meninas, enquanto os meninos brincam de carrinho na sala. Isso acontece justamente, porque não temos muitas referências de tratamento igualitário dentro de casa. Dessa forma, aceitamos aqui fora, que algumas cadeiras não sejam ocupadas por mulheres, logo entendemos que ela não nos pertence, mas isso está errado”, disse a vice-governadora.

A professora Ethel Maciel afirmou que a liderança feminina acontece quando há a conscientização das mulheres de reivindicarem seus direitos, garantindo que possam estar cientes da luta pela total igualdade entre os gêneros em diversos cenários sociais. “Quando falamos de empoderamento feminino, estamos também falando de como é importante encorajá-las desde meninas a serem o que quiserem, a terem autoestima e a serem esse suporte para outras mulheres”, ponderou. 


Leia mais

Leia também