Vereador Pedro Gonçalves sugere implantação de programa sustentável na Câmara Municipal

O
vereador, Pedro Gonçalves (Pode), fez uma solicitação ao presidente da Câmara
Municipal de Nova Venécia que implemente um programa para tornar o ambiente da
Casa de Leis veneciana mais sustentável.

No
memorando encaminhado, o parlamentar, que foi Secretário Municipal de Meio
Ambiente entre novembro de 2017 e março de 2020, enumerou uma série de
propostas que podem ser adotadas no âmbito da Câmara, como: implantação de
conjunto para coleta seletiva com 4 cestos; destinação adequada de descartáveis
recicláveis; campanha “ADOTE UMA CANECA”, visando a diminuição do uso de copos
descartáveis usados no Legislativo; uso de lâmpadas com sensor de presença em
áreas comuns do prédio; troca do sistema de alimentação por pilhas dos
microfones do plenário pela eletricidade; ponto de coleta de lâmpadas
fluorescentes, pilhas e baterias na Câmara para descarte pela população;
priorizar, sempre que possível, a compra de materiais reciclados; realizar
estudo sobre a possibilidade de substituição da compra de água em galões pela
instalação de filtros elétricos; viabilizar meios para captação da água de
chuva para o reaproveitamento nos serviços de limpeza; realizar estudos sobre a
possibilidade de instalação de placas fotovoltaicas no terreno da Câmara
Municipal; e implantar o programa “Câmara sem Papel”, que prevê a digitalização
de todos os documentos do Legislativo Municipal, desde sua fundação até hoje, e
permitirá que, daqui para frente, todo o processo legislativo possa ser feito
exclusivamente de forma eletrônica, sem o uso de papel.

“Essa
consciência ecológica tem despertado uma preocupação com a maneira que os
resíduos sólidos gerados pela sociedade como um todo tem sido gerenciada. Isso,
porque o manejo inadequado e o descarte irregular da significativa quantidade
de rejeitos produzidos, provocam uma série de danos à saúde pública e ao meio
ambiente”, disse Pedro.

A
Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei Federal 12.305/10,
representou um forte marco na luta pela preservação ambiental, pois atribuiu
aos três entes da Federação – União, Estados e Municípios – e também ao Setor
Privado e à coletividade, a responsabilidade pelo gerenciamento adequado dos
resíduos produzidos. “Nesse sentido, a coleta seletiva configura a busca pela
melhoria no aspecto atual de descarte de resíduos sólidos e reflete a
consciência ecológica, caracterizada pela educação ambiental e pela preocupação
com a qualidade de vida das presentes e futuras gerações”, falou o parlamentar.

“Considerando
a expansão das dependências da Câmara Municipal de Nova Venécia, o robusto rol
de servidores e vereadores que nela desempenham suas atividades e,
consequentemente, a grande quantidade de material reciclável produzido pela
Casa de Leis, é de suma pertinência a coleta seletiva desses resíduos, a fim de
dar eficácia ao disposto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, assumindo a
responsabilidade incumbida ao Município no papel da proteção ao meio ambiente”,
finalizou.


Leia mais

Leia também