Vereador Juarez Oliosi explica Indicação para retirada das pilastras da antiga ponte

O vereador, Juarez Oliosi (PSB), apresentou uma Indicação, que será lida durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (27), na Câmara Municipal de Nova Venécia, que tem causado polêmica nas redes sociais.

Na pauta, o parlamentar indica ao Prefeito, André Wiler
Silva Fagundes, a instalação de comporta e roda d’água do Rio Cricaré, mais
precisamente na localidade represada nas proximidades do Casarão, e a retirada
das pilastras da antiga ponte, localizada abaixo da ponte Cristiano Dias Lopes
Filho, que liga a Avenida Vitória à Avenida São Mateus.

Segundo Oliosi, em 2004, quando uma enchente atingiu o
município e causou prejuízo aos comerciantes, danos à antiga Praça do Granito,
hoje Praça Adélio Lubiana, e colocou a antiga Passarela em risco, ele foi eleito
vereador pela primeira vez. “Na minha primeira indicação, propus comportas para
o Rio Cricaré, uma Passarela com acesso pelo Casarão, a antiga roda d’água, que
está lá abandonada há anos, e a retirada das pilastras da antiga ponte, quem
vem causando danos ao município de Nova Venécia”.

De acordo com o vereador, a implantação das comportas se dá
em função do levantamento da barragem do Rio Cricaré em 60 centímetros em 1999,
quando uma grande seca teria atingido o município, o que vem causando enchentes
em Nova Venécia.

“Em 2013, veio uma enchente ainda maior, levou a Passarela
embora, colocou em risco a ponte Cristiano Dias Lopes Filho e causou prejuízos
e danos a todos os comerciantes e empresário das margens do rio. Novamente,
apresentei a proposta do projeto, debatemos e discutimos junto à Cesan,
Prefeitura, Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e
Governo do Estado. Nas redes sociais, colocaram que os vereadores não têm
critério para pedir a retirada das pilastras antigas, mas vou explicar para a
população: a Passarela que foi levada pela água em 2013 custou R$ 4 milhões e
toda a Praça Adélio Lubiana foi danificada e custou R$ 3,5 milhões, mas tudo isso
foi reconstruído com dinheiro público. Agora, perguntem aos empresários e
comerciantes de Nova Venécia quem arcou com os prejuízos deles e com o risco
dos seus prédios? E eu, como sempre dizia: Nova Venécia não tem um projeto para
ter construído aquela barragem dentro do rio, o que vem causando essas
enchentes. Necessitamos, sim, da barragem, mas tem que haver as comportas e a
retirada das pilastras antigas. Não estou aqui dizendo que tem que acabar com a
ponte velha, porque é uma cultura, mas que façam um monumento na Praça relembrado
a estrutura antiga. Então, a proposta é essa para a população entender. A
proposta de projeto não foi retirada da Câmara, ela está na pauta e vai ser
lida hoje e repassada para o prefeito. Não é projeto, é uma proposta, uma
indicação minha que venho fazendo há 16 anos. Peço aos comerciantes e
empresários que todos se movimentem, porque isso só vai acontecer quando todos
se unirem”, falou Juarez.

O vereador disse que já teve uma conversa com o Ministério Público.
“O MP já está a parte disso. Temos que nos movimentar e dar o primeiro passo
para que a população, no dia de amanhã, não sofra com mais enchentes no
município de Nova Venécia”, falou.

Juarez Oliosi também falou como pretende sugerir a retirada
das pilastras. “A enchente de 2013 já derrubou uma, que está lá dentro do rio.
Então, a retirada delas pode ser feita com maçarico, demolindo elas, para que a
água passe e não deixe pedaços de madeira de mato parados ali, ou trazendo um
engenheiro que possa fazer um levantamento, tanto do projeto, como da retirada,
da forma que pode ser feita. Isso é um estudo que estou pedindo ao prefeito, à
Cesan, ao Governo do Estado e ao Iema. Juazrez não está aqui pedindo para
demolir nenhum patrimônio público e histórico, mas sim, não deixar a cidade no prejuízo
como já aconteceu e pode acontecer novamente”, finalizou o vereador.
A Indicação será lida na Sessão Ordinária, desta
terça-feira (27), a partir das 17 horas, que pode ser acompanhada através do
Facebook da Câmara Municipal.

Leia mais

Leia também