Vereador de Vitória aciona Ministério Público por causa das cobranças do rotativo em plena pandemia

O vereador Mazinho dos Anjos (PSD), que por sinal tem tido uma atuação destacada na Câmara Municipal de Vitória pela sua atuação firme e com muita responsabilidade, tem ouvido clamor por parte de várias pessoas a respeito das cobranças feitas nos rotativos (parquímetros) da capital.

O referido vereador já solicitou a prefeitura a suspensão das cobranças, mas como a prefeitura não tomou as providencias cabíveis, Mazinho então está acionando o Ministério Público na tentativa de dar um basta nesta situação.

“Estou entrando com uma representação no Ministério Público do Estado do Espirito Santo (MPE), para que a Prefeitura de Vitoria seja notificada quanto à suspensão das cobranças nos parquímetros da cidade, enquanto durar o decreto de estado de calamidade pública”, disse o vereador Mazinho.

Mazinho dos Anjos disse que os proprietários de veículos estão revoltados com o retorno dos parquímetros, ainda em tempos de isolamento social. E não é exagero, não.

“Tenho recebido muitas reclamações de cidadãos que, ao contrário do que a prefeitura afirma, veem a volta das cobranças nos rotativos como uma forma da empresa e a prefeitura municipal de Vitoria continuarem arrecadando”, disse o vereador Mazinho dos Anjos em publicação em seu Instagram.

Vejam como as pessoas tem reclamado:

(01)Os parquímetros em Vitoria já voltaram a funcionar, das 10 às 16h. Mas o decreto de calamidade pública continua e o comércio permanece sob restrições. A Prefeitura justifica que, se a circulação de carros nas ruas aumentou, a cobrança nos rotativos pode retornar.

Não concordo. Você̂ acha que o rotativo é um serviço essencial?

Vamos cobrar para que a Prefeitura foque no que realmente importa e volte a suspender a cobrança nos parquímetros enquanto durar a pandemia.

(02) Absurdo cobrar para estacionar se a rua não está lotada de carros… O comércio está com restrições para a abertura, a maioria das pessoas está em isolamento, é insensatez cobrar para o cidadão estacionar na rua durante um estado de calamidade, sendo que ele já paga seus devidos impostos para a manutenção da mesma.

(03) Absurdo mesmo, além de não ser serviço essencial você não acha o suporte. Ontem eu precisei de moedas e não tinha. Tive que tentar trocar nos estabelecimentos para conseguir fazer o pagamento. E não apareceu ninguém para suporte. Não são serviço essencial assim como as lojas de chocolates TB não eram. Vai entender.

Leia mais

Defesa abre seleção para serviço temporário de profissionais da saúde

inscrições começam na quarta-feira (13). – Foto: EBC O Ministério da...

Vila Pavão vacina quase três mil animais entre cães e gatos

Entre os dias 08 a 28 desse mês,...

Espírito Santo chega a 1.297 mortes e 34.238 casos confirmados de Coronavírus

O Espírito Santo registrou, até este sábado (20), 1.297 mortes por Covid-19. O número de casos confirmados chegou a 34.238. Os dados foram divulgados...

Leia também

Reforma tributária tem debate adiado e segue sem previsão de aprovação pelo Congresso

Marcada para essa segunda-feira (28), a reunião que ouviria os formuladores técnicos das propostas que tratam de uma reforma tributária foi cancelada. Ainda não...

Validade da carteira de motorista passará de 5 para 10 anos

A Câmara dos Deputados aprovou as mudanças do Código de Trânsito Brasileiro sugeridas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Entre as medidas do Projeto...

Prazo para municípios solicitarem recursos de ajuda à cultura termina em 16 de outubro

A pandemia causada pela Covid-19 trouxe a paralisação de quase todos os serviços no Brasil que, por sua vez, dificultaram a situação financeira de...

“Auxílio emergencial” vai ajudar profissionais do setor esportivo

Por conta da pandemia da Covid-19, os maiores eventos esportivos do mundo foram cancelados ou adiados, e nem é preciso sair da nossa cidade,...