Verão começa com praias lotadas e aglomerações no Espírito Santo

Em Vila Velha, cidade com o maior número de casos de Covid-19 no estado, as praias ficaram cheias no último fim de semana da primavera. Bares e restaurantes foram notificados por aglomerações.

Por Diony Silva, G1 ES e TV Gazeta

Praia da Costa, em Vila Velha, ES, lotada no primeiro dia do verão, mesmo com a pandemia do coronavírus.

Praia da Costa, em Vila Velha, ES, lotada no primeiro dia do verão, mesmo com a pandemia do coronavírus.

O verão começou oficialmente nesta segunda-feira (21), mas o movimento nas praias de Vila Velha, na Grande Vitória, já estava intenso desde o domingo (20). Com a chegada da estação do calor, os balneários têm ficado lotados. Mas a grande quantidade de pessoas nas areias impede o respeito ao distanciamento social, principal forma de combater o coronavírus.

Nesse fim de semana, entre um guarda-sol e outro, havia muita gente aglomerada. Vila Velha é a cidade com o maior número de casos de Covid-19 no Estado. Já são mais de 32 mil casos confirmados de coronavírus e 675 pessoas morreram por causa de complicações da doença. A prefeitura diz que tem feito um trabalho educativo, já que não pode tirar o banhista das praias.

“Não há nada que proíba a livre circulação das pessoas na sociedade. O que a gente precisa orientar, e a gente enfatiza, é a conscientização social. Cada pessoa deve trazer para si o senso de responsabilidade. A Guarda está nesse processo de orientação desde o início da pandemia. Fizemos e continuamos fazendo várias ações, mas proibir, não temos condição legal de agir assim” explicou o subinspetor da Guarda Municipal de Vila Velha, Rusley Medeiros.

O subinspetor da Guarda orienta que os banhistas prefiram as áreas com menos movimento. Em Vila Velha, segundo ele, há quatro locais de grande concentração que devem ser evitados por quem quer ir à praia e, mesmo assim, reduzir os riscos de contaminação pelo coronavírus.

“Percebemos neste fim de semana um aumento significativo das pessoas na praia, e percebemos também que existem os points, onde as pessoas mais ficam e se aglomeram. A nossa orientação é: evite esses locais. Existe uma faixa da orla em que não há grande fluxo de pessoas. Se puderem ir a esses lugares, para garantir o distanciamento, é a nossa recomendação. Temos quatro pontos críticos aqui na orla de Vila Velha. Quanto menos as pessoas se aglomerarem nesses espaços, melhor”.

Quem segue essas recomendações são as irmãs Rosa Basílio e Liu Basílio, que fazem caminhada diariamente na praia. Elas sempre vão bem cedinho, para diminuir a exposição ao vírus.

“A gente faz a nossa caminhada, toma um banho de mar em dia de semana, e procuramos escolher um lugar que não tenha ninguém, para tomar um sol. Depois, vamos para casa”, contou Liu.

A auxiliar de saúde bucal Cleide também se preocupa com o coronavírus. Praia, para ela, só durante a semana e bem longe de aglomerações. A máscara só sai do rosto quando não tem ninguém por perto.

“Já fiz uma caminhada de máscara e parei aqui porque está mais vazio e distante das pessoas. Acho perigoso (as aglomerações), muita gente, não sabe quem está contaminado. Mesmo porque, o coronavírus, tem gente que se manifesta de uma forma, de outra, você não sabe quem está contaminado e pode te contaminar”.

Além das praias, muitas pessoas também se aglomeraram à noite em casas de shows, bares e restaurantes de Vila Velha. Um estabelecimento foi interditado e outros nove foram orientados a encerrar as atividades, porque estavam descumprindo o decreto do governo do Estado, que determina que não podem funcionar após as 22 horas.

Ao todo, 12 estabelecimentos foram notificados e outros foram solicitados que fizessem adequações por causa do som alto.

Leia mais

Leia também