Venezuela pede que Reino Unido libere recursos do ouro sequestrado para comprar vacinas


Em discurso transmitido neste domingo (14) por uma emissora estatal, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou mais uma vez o efeito negativo da posição do Reino Unido de não devolver o ouro da nação venezuelana, em meio à pandemia de Covid-19.

“Estamos aguardando uma resposta à proposta da Venezuela, de que 300 milhões de dólares de ouro venezuelano sejam liberados pelo Banco da Inglaterra [BoE]”, enfatizou o dirigente, acrescentando que o referido pedido visa a garantir o dinheiro necessário para adquirir as vacinas contra a Covid-19, por meio do mecanismo Covax, promovido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cujo objetivo é  garantir o acesso equitativo aos medicamentos contra a doença.

Enfatizando que este pedido é uma “reivindicação humanitária”, o governante venezuelano sublinhou que esta medida nada tem a ver com o confronto político, geopolítico ou ideológico, porque, acrescentou Maduro, Caracas precisa do seu ouro para garantir a saúde da sua população, informa a HispanTV.

Em julho de 2020, o Tribunal Superior do Reino Unido decidiu a favor do autoproclamado presidente da Venezuela Juan Guaidó, em um processo contra o Governo de Maduro pelo controle de 31 toneladas de ouro venezuelano depositado no Banco da Inglaterra.

Nicolás Maduro

Nicolás Maduro (Foto: Presidência da República da Venezuela)

Leia mais

Leia também