Veneciano viaja de BH para entregar 70 cestas básicas em Nova Venécia

Impulsionado pela vontade de fazer o bem, o veneciano Vaílton Oliveira, 47 anos, resolveu aumentar a proporção daquilo que ele já faz como voluntário há 15 anos. A informação é de Cintia Zaché, da Rede Notícia.

Empenhado na missão de ajudar a quem precisa e morando em Belo Horizonte, Minas Gerais, neste domingo (23), Vailton fará a entrega de 70 cestas básicas no bairro Aeroporto II, em Nova Venécia. “Meus pais moram aí ainda, minha família também. Fui os visitar e vi que precisava fazer algo por minha terra também, já que desenvolvo esse voluntariado já há 15 anos em Belo Horizonte”, explica.

Para escolher o bairro onde seriam destinados os alimentos, Vailton esteve com alguns líderes comunitários do município veneciano e optou pelo Aeroporto II. “Em minhas pesquisas, vi que era o local mais necessitado. Pedi a listagem de moradores, de início de 50 famílias necessitadas, e voltei para Minas, para trabalhar e também recolher os alimentos”, fala.

Só que ao analisar, o veneciano, que na capital mineira é técnico de enfermagem do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e agente de saúde, resolveu aumentar as doações e de 50, passaram a 70 cestas básicas, que vão ajudar diversos moradores do bairro escolhido. “Vendo a necessidade causada pela pandemia do novo coronavírus e a fome chegando a muitas famílias, comecei a arrecadar cestas básicas, já venho fazendo esse trabalho. Fui avisando aos amigos, que transmitiram o recado a outras pessoas e foi virando a corrente do bem. Dessa mesma forma foram recolhidos os alimentos que serão doados em Nova Venécia”, declara.

Para chegar aqui neste domingo, o voluntário vai percorrer 600 quilômetros em um carro emprestado, já que não possui veículo próprio, e o combustível, será financiado por amigos e doadores.

Durante a pandemia, o técnico de enfermagem já arrecadou mais de 1,6 mil cestas básicas, que foram entregues às famílias necessitadas de Belo Horizonte e cidades do interior de Minas, somadas as que serão entregues em Nova Venécia. “Fiz um desafio a mim mesmo. Se em abril do ano que vem eu conseguir arrecadar 5 mil cestas básicas em doações, vou sair a pé de Belo Horizonte e vou até São Paulo. O destino final ainda está sendo traçado, estou estudando”, conta.

Voluntariado que dura 15 anos

Com 15 anos de voluntariado, ajudando e auxiliando moradores de Belo Horizonte que necessitam de alimentos, fraldas descartáveis e outros itens, Vailton relata ter notado a fome aumentando em famílias em Minas Gerais, e por conta disso, teve a iniciativa de se dedicar ainda mais na causa de quem precisa de comida. “Trabalho cerca de 20 horas em meus plantões e turnos, e ajudo a quem precisa, nas horas vagas. É um trabalho de formiguinha. Não tem doação de empresas, nem de políticos, tudo vem de amigos e conhecidos”, descreve.

O voluntariado do veneciano já virou reportagem no Jornal Hoje, da Rede Globo, Globo News, Google Play, Rede Record, Band Minas, e entre outros veículos de comunicação. “Estou levando doações de belorizontinos para minha cidade, isso é uma grande alegria para mim”, fala.

Vailton é filho da dona Neuza Oliveira, que mora no bairro Beira Rio, e Carlino Leôncio (In Memória), que era mais conhecido por Carlim Carroceiro.