Veneciano recepciona esposa com fogos de artifício após vencerem a Covid-19

Foi assim que o seu Acquelino Valani, 84 anos, conhecido como seu Lino, recepcionou a esposa em casa, a dona Maria José Valani, 77, após a amada receber alta de 22 dias, devido a tratamento da Covid-19, realizado no Hospital Roberto Arnizault Silvares (HRAS): uma chuva de fogos de artifício acendeu o céu e o barulho dos estouros, ajudaram a anunciar a chegada da amada, no Patrimônio do XV, local onde moram há cerca de 47 anos. A reportagem especial é de Cintia Zaché da Rede Notícia.

No momento, não podia faltar e a família estava reunida na chegada da matriarca. “Foi iniciativa toda dele a receber com os fogos. É costume nos tempos de festa da comunidade Católica, a celebração ter esse momento, principalmente no Dia de Nossa Senhora Aparecida. Ele não nos explicou o motivo, se foi promessa, só pediu que realizássemos a queima de fogos, e assim fizemos. Foi um momento emocionante para eles dois, para nós”, diz a neta, Rafaela Paula Valani Carrasco. “Minha avó precisou ficar internada em uma UTI, não foram fáceis esses dias”, pontua.

De acordo com a neta, após a chegada, a avó quis colocar o papo em dia, mas antes, pediu para tomar banho. “Ela estava vindo do hospital, a preocupação dela conosco nos marcou também”, fala.

Ele também ficou internado

O casal teve uma história de superação juntos: ele também ficou internado por 15 dias, no Hospital São Marcos, precisou usar oxigênio, por ter contraído também, o novo coronavírus. A alta do aposentado, que é portador de Mal de Parkinson, aconteceu seis dias antes da esposa, e restou assim, a aflição em esperar a melhora da amada. “Ficamos completamente perdidos, eles são a base da família, e como eu postei nas minhas redes sociais, são os exemplos de carinho, humildade e amor verdadeiro ao próximo. A sensação agora é de gratidão, eles estão de volta”, diz Rafaela.

Com quase 60 anos de casados, nove filhos, 11 netos, agora a família Valani é só comemoração, pois o esteio do lar está de volta: a dona Maria e o seu Acquelino. “Somos eternamente gratos a Deus em primeiro lugar, e a todos os profissionais do Hospital Roberto Silvares e São Marcos, desde as copeiras, até os médicos, as equipes são exemplos de profissionalismo e humildade”, finaliza a neta.

 

-->