Veneciana portadora de paralisia infantil salta de paraquedas

Lúcia Helena de Almeida precisou amarrar a perna que tem deficiência no outro pé, para que pudesse seguir os protocolos. Foi um sucesso e a aventureira já programou seu próximo desafio

 

 

A veneciana Luciana Helena de Almeida, 49 anos, surpreendeu muita gente e saltou de paraquedas, desejo realizado no último dia 29, na Skydive Guarapari Paraquedismo, escola do ramo, em Guarapari. “Foi uma das maiores emoções que já tive, maravilhoso. Olhar aquele céu, as nuvens lá embaixo, é fantástico, não dá para descrever total emoção”, explica. A reportagem especial é de Cintia Zaché, da Rede Notícia.

Lúcia só ficou sabendo que iria saltar quando chegou ao local. A surpresa? Foi presente do filho dela, o Michael de Almeida Inoch, 28, mais conhecido como Jake. “Ele me disse que iriamos fazer trilha, eu gosto de aventura e aceitei. Só soube da verdade quando cheguei lá. Que presentão!”, diz.

O salto foi realizado a uma altura de 10 mil pés. Antes de entrar no avião para que a aeronave alcançasse o momento ideal do salto, Lúcia contou com instruções, e teve que dar um jeito para que sua deficiência não atrapalhasse. “Quando salta, é preciso posicionar a cabeça para trás e os pés. Minha perna esquerda não tem coordenação motora em nada, por conta da deficiência. Amarrei os cadarços com os dois pés juntos, e minha perna direita foi a responsável por realizar a ação pelas duas”, narra.


Turma unida para o salto

A viagem para Guarapari e a aventura foi organizada pelo lanterneiro, Celso Júnior Raymundo Jacob, 25, que também saltou de paraquedas pela primeira vez. De acordo com ele, quando decidiu realizar o programa, as pessoas foram se manifestando e ele conseguiu. “Um amigo meu convidou o filho dela para ir, e ele a levou. Ela é guerreira, em momento algum quis desistir. Fomos em 11 pessoas, foi a primeira vez de todos”, conta.

Além do paraquedismo, Lúcia já praticou rapel e revela que isso também a ajudou no salto. A veneciana é mãe de dois filhos e trabalha como faturista, e já afirma que aproxima aventura será voar de balão com a filha, a Lorena de Almeida Inoch.

A Paralisia Infantil, conhecida cientificamente como Poliomelite, vitimou a Lúcia quando ela tinha um ano e meio de idade, e para se locomover, ela necessita de um aparelho. “Faço avaliações e se eu notar que estarei em segurança, sigo em frente. Vamos ver agora como será o voo de balão”, finaliza aos risos.

» Lúcia e o filho, o Jake (E), nos preparativos para o salto

 

» Deficiência não impediu Lúcia a realizar um de seus sonhos, saltar de paraquedas


Leia mais

Leia também