Vacinação indiscriminada contra o sarampo é prorrogada para público de 20 a 49 anos

Em meio à pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o Brasil tem registrado também um aumento de casos de sarampo em seu território no primeiro semestre deste ano. Foram mais de 4.900 casos confirmados e cinco óbitos nos últimos seis meses. O Espírito Santo não registra casos da doença desde 2019, quando quatro casos foram confirmados.

Diante desse cenário, o Ministério da Saúde prorrogou a vacinação indiscriminada contra o sarampo para o público de 20 a 49 anos até o dia 31 de agosto deste ano. Embora no Espírito Santo não haja casos confirmados há quase um ano, os três estados que fazem divisa somam 1.203 casos e um óbito: Rio de Janeiro (1.185 casos e um óbito), Minas Gerais (12 casos); e Bahia (6 casos).

Para a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, é importante que a população capixaba verifique sua situação vacinal com relação ao sarampo, uma vez que a vacina é a única forma de prevenção. “A realização da vacinação e a adesão do público são essenciais, pois assim garantimos a devida proteção das pessoas contra o sarampo e possibilitamos a interrupção da circulação do vírus no país”, disse.

A imunização está ocorrendo nas 493 salas de vacinação dos 78 municípios do Estado. 

Dados Sarampo no Espírito Santo

A Secretaria da Saúde (Sesa) registrou, até o sábado (04), um total de 24 notificações de casos suspeitos de sarampo no Espírito Santo no ano de 2020. Desses, 23 casos foram descartados e um segue em investigação. 

 

Vacinação contra sarampo

A imunização contra o sarampo também faz parte do calendário oficial do Ministério da Saúde. 

Deve ser aplicada uma dose de vacina tríplice viral aos 12 meses de idade e uma dose de vacina tetra viral aos 15 meses de idade. Além disso, continua sendo administrada a dose zero da tríplice viral em crianças de 6 a 11 meses de vida devido ao risco epidemiológico do sarampo. 

Os indivíduos de 1 a 19 anos devem ter duas doses de vacina com o componente sarampo e rubéola. Para aqueles de 20 a 49 anos deve ser dada uma dose extra da vacina com o componente sarampo e rubéola, caso não tenham cartão de vacinação ou a última dose comprovada seja anterior a 23 de março de 2020. E aqueles de 50 a 59 anos de idade devem ter, pelo menos, uma dose da vacina contendo o componente sarampo. Os trabalhadores da Saúde devem receber duas doses da vacina tríplice viral, independentemente da idade.

 

Leia mais

PM realiza apreensões de entorpecentes neste fim de semana em Guarapari

Policiais militares do 10º Batalhão realizaram diversas apreensões...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Tempo firme volta a predominar no Sul do país nesta quarta-feira (4)

Nesta quarta-feira (4), o tempo firme dever volta a predominar em grande parte da região Sul do país. Chance de chuva fraca e maior...

Sesa confirma mais uma morte por coronavírus no ES e número sobe para cinco

A secretaria de Estado da Saúde (SESA), confirmou...

Moto é furtada no interior de Vila Pavão

Uma moto foi furtada durante a madrugada deste...

Leia também

Encontro Alagoano de Gestores Eleitos tem inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para o Encontro Alagoano de Gestores Eleitos, realizado pela Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), em parceria com a Confederação Nacional...

Estimativa de receita do Fundeb para 2020 cai em 6,5%

A nova estimativa da receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) sofreu redução...

Pesquisa da Fiocruz aponta número elevado de mortes em domicílios do Rio de Janeiro

Pesquisa da Fiocruz mostra que, entre abril e setembro, a cidade do Rio de Janeiro apresentou 27 mil mortes acima do esperado, se comparado...

São Paulo recebe um milhão de doses da vacina para combate à Covid-19

O estado de São Paulo recebeu, nessa quinta-feira (03), 600 litros a granel da vacina Coronavac, que correspondente a um milhão de doses para...