Unidos pela Vacina está próximo de bater meta no Espírito Santo

Criado a partir da ideia de colaborar com os municípios para que todos os brasileiros estejam vacinados até setembro deste ano, o grupo Unidos pela Vacina conseguiu garantir, até esta quinta-feira (05), “empresas madrinhas” para 74% dos municípios capixabas que dependiam de algum apoio logístico para acelerar a imunização. Com isso, câmaras frigoríficas e caixas térmicas já estão sendo entregues a 48 das 65 cidades capixabas que apresentaram demandas.

A Rede Gazeta e o grupo Realcafé se uniram à iniciativa nos últimos dias e passarão a ser “madrinhas” do Unidos pela Vacina. De acordo com o diretor-geral da Rede Gazeta, Café Lindenberg, esse é um momento em que todos devem fazer a sua parte, ajudando a acelerar a imunização para que se volte à normalidade o mais rápido possível.

“As câmaras frigoríficas para armazenamento de vacinas e itens de saúde, assim como as caixas que permitem o deslocamento dessas doses em zonas de difícil acesso, por exemplo, serão um legado do Unidos pela Vacina no Brasil inteiro. Aqui no Espírito Santo, a articulação tem se mostrado eficiente e a vacinação está seguindo sem grandes transtornos, mas é fundamental que todos se unam para que os resultados apareçam logo”, frisa Café.

O empresário Sérgio Tristão, presidente da Real Café, diz que a empresa tem acompanhado a evolução da pandemia e, desde o ano passado, presta apoio ao governo do Estado e participa de campanhas de outras organizações, como a Central Única das Favelas (Cufa) e a Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes). Participar de mais um movimento, especialmente este que propõe a imunização mais rápida da população, é gratificante.

“A Real Café estará à disposição no que for necessário para cruzar esse mar revolto que é a pandemia. A resposta da vacina tem sido fantástica. No Espírito Santo nós chegamos a uma média de óbitos muito maior que a atual. Ainda é um número alto, em se tratando de vidas. Mas a comparação entre antes da chegada da vacina e agora mostra uma queda drástica. Para nós, é uma honra participar desse movimento que quer acelerar a vacinação e salvar mais vidas”, afirma Tristão.

Madrinhas

Além das empresas capixabas, Suzano, Grupo DrogaRaia, Bob’s, BRK Saneamento e Engeform compõem o grupo das empresas madrinhas de municípios capixabas até o momento. O processo de amadrinhamento é simples, conforme explica a coordenadora do UPV no Estado, Graça Bernardes.

“Nós realizamos um levantamento nos 78 municípios capixabas e 65 deles apresentaram demanda por itens necessários para a campanha de vacinação. Foi um contato individual, com cada secretário municipal de saúde que nos permitiu ter uma descrição bem detalhada dessas necessidades. Com base nesse relatório, passamos a buscar a colaboração de empresas, que podem fazer a doação dos itens solicitados com base na sua realidade, na capacidade financeira de fazer aquela doação. A receptividade tem sido muito grande, o que nos deixa muito felizes”, frisa Graça.

E é exatamente esse legado que ficará para a saúde pública que o presidente do Conselho de Adminstração da RaiaDrogasil, Antonio Carlos Pipponzi destaca neste momento em que a empresa, que já amadrinha cidades de outros Estados brasileiros, passa a amadrinhar também municípios capixabas. “Ao longo de nossa história centenária, desenvolvemos um robusto trabalho junto às necessidades de saúde das comunidades em que atuamos e não seria diferente agora, neste momento tão necessário. Esperamos que, com a adesão ao movimento Unidos pela Vacina possamos apoiar os cinco municípios capixabas que apadrinhamos, no combate a pandemia e legado de saúde”, considera Pipponzi.

Incentivo à vacina

CEO da Suzano, que amadrinhou 33 municípios capixabas, Walter Schalka diz que, além do Unidos pela Vacina, outras iniciativas da empresa fortalecem o engajamento com a causa. “Esperamos ajudar a vacinar mais de 450 mil pessoas até setembro de 2021 pelo menos com a primeira dose”, diz ele, acrescentando superar o coronavírus é um objetivo que depende da ação de cada indivíduo e que é preciso seguir incentivando a adesão à vacina.

“Continuamos atentos e incentivando a todas as pessoas para quem não deixem de tomar a vacina, nas datas possíveis e respeitando o número de doses indicadas. Superar o coronavírus é um objetivo que depende da ação de cada um de nós”, enfatiza Schalka.

No processo de amadrinhamento, a empresa pode doar valores que variam de R$ 8,1 mil a R$ 12,4 mil, de acordo com o número de moradores. Ao todo, para que as cidades capixabas ainda não cobertas sejam beneficiadas, o custo total previsto é de R$ 154 mil.