Unidades prisionais realizam ações alusivas ao Dia da Consciência Negra

Diversas unidades prisionais do Estado desenvolveram atividades de arte e cultura para promover reflexão a respeito da igualdade racial e estimular o respeito às diferenças, em alusão ao Dia Nacional da Consciência negra, nesta sexta-feira (20).

Internos do Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares (CDRL) participaram de atividades desde a terça-feira (17). Na programação, documentário, oficina de confecção de bonecas, roda de capoeira, oficina de berimbau. Os professores da unidade, servidores e alguns convidados foram responsáveis por conduzir as ações.

Para o interno Alef de Paula Soeiro da Silva, do CDRL, a Semana Cultural proporcionou uma reflexão quanto ao contexto histórico envolvendo a cultura e culinária dos povos africanos. “Pude aprender e compreender toda a luta envolvendo o racismo, descoberta de identidade, histórias de sucesso de negros que se tornaram grandes referências na nossa história.”

Na Penitenciária Regional de Linhares, os apenados também participaram durante a semana de atividades alusivas à data que envolveram oficinas, atividades culturais e até culinária. A secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo, esteve na unidade  nessa quinta-feira (19) e acompanhou parte da programação.

Nesta sexta-feira (20), data do debate e reflexão sobre as diferenças raciais e a importância de cada um no processo de construção comunitária, toda a população carcerária da Penitenciária Agrícola do Espírito Santo (Paes) participou de uma ação pelo Dia da Consciência Negra.

Com uma apresentação cultural seguida de uma roda de conversa, o objetivo, de acordo com a diretora da unidade, Leizielle Marçal Dionízio, foi estimular o respeito às diferenças.

“Esses internos logo estarão de volta à comunidade. O diálogo sobre o respeito às diversidades e à minoria é importante. A apresentação foi elaborada por eles. Após o teatro, uma inspetora penitenciária da nossa equipe declamou um poema e compartilhou um pouco da sua história. Depois, abrimos uma roda de conversa. Foi um momento emocionante. Vários deles também quiseram compartilhar suas histórias, momentos que passaram e que marcaram suas vidas. De fato, foi um dia de reflexão e de trabalho conjunto”, destacou Leizielle Marçal Dionízio.

 

Leia mais

Leia também