União Europeia anuncia que vai continuar pressão sobre a Rússia


SputnikO chefe da diplomacia da União Europeia (UE), disse que as sanções da Rússia contra as autoridades europeias não impediriam a União Europeia (UE) “de levar à justiça os responsáveis ​​por violações dos direitos humanos”.

Na última sexta-feira (30), o site do Ministério das Relações Exteriores da Rússia publicou uma lista de oito cidadãos da União Europeia que foram proibidos de entrar na Rússia. A lista inclui, em particular, o chefe do Parlamento Europeu, David Sassoli, bem como a vice-presidente da Comissão Europeia para os Valores Europeus e a Transparência, Vera Yurova.

De acordo com a chancelaria russa, esta medida foi tomada em resposta às medidas restritivas impostas em 2 e 22 de março pelo Conselho da UE contra seis cidadãos russos.

“A ação russa não impedirá a União Europeia de continuar a apoiar os direitos humanos, a democracia e o direito internacional, e de responsabilizar os responsáveis ​​por violações dos direitos humanos”, disse Borrell em um comunicado divulgado neste sábado (1º).

O chefe da diplomacia europeia também “condenou a decisão da Federação da Rússia de proibir a entrada de oito cidadãos da União Europeia em território russo” e expressou total solidariedade para com os réus que caíram nas sanções russas.

Bandeiras da União Europeia na sede da Comissão Europeia em Bruxelas, na Bélgica

Bandeiras da União Europeia na sede da Comissão Europeia em Bruxelas, na Bélgica (Foto: REUTERS/Yves Herman)

Leia mais

Leia também