“Um governo do povo, com o povo e para o povo”, diz Pedro Castillo em discurso de posse no Peru


Pedro Castillo (Perú Libre), eleito presidente do Peru, tomou posse nesta quarta-feira (28) no Congresso do país, em Lima. Em seu discurso, disse que haverá, “desta vez, um governo do povo, com o povo e para o povo”.

Professor e sindicalista de esquerda, Castillo confirmou a promessa de reformar o modelo econômico estabelecido na ditadura de Alberto Fujimori, “com responsabilidade, mas colocando na frente os interesses da nação”.

“Desta vez, um governo do povo chegou para governar com o povo e para o povo, para construir desde baixo. É a primeira vez em que o país será governado por um camponês, que pertence aos setores oprimidos por tantos séculos”, disse. “É a primeira vez que um partido formado no interior do país vence as eleições democraticamente, e que um professor rural é eleito para ser presidente. É difícil explicar a honra que isso significa”, acrescentou.

Usando trajes andinos, além de seu tradicional chapéu branco da região de Cajamarca (Noroeste), Castillo homenageou os povos originários, enfatizando que veio do “Peru silenciado”.

“É um imenso orgulho estar neste recinto. Apesar de comemorarmos uma data tão simbólica, nossa história vem de muito antes. Somos um berço de civilizações há mais de cinco mil anos. Por quatro milênios e meio nossos antepassados viveram em harmonia com a natureza”, disse o presidente, destacando que é o primeiro camponês a chegar ao comando do Peru.

Ele reafirmou o seu compromisso de campanha de uma nova Constituição. A cerimônia ocorreu no mesmo dia em que o país celebra os 200 anos da independência em relação à Espanha.

Castillo criticou os monopólios e prometeu agir para controlar eventuais abusos, e disse que pressionará para que projetos de mineração, uma das principais fontes de renda do Peru, ajudem a melhorar as economias locais, incluindo através de impostos e novas regras. Ele prometeu trabalhar para que a estatal Petroperu atue na cadeia de distribuição de combustíveis, em especial do gás natural, com o objetivo de “regular” o preço final ao consumidor.

Lideranças sociais peruanas e autoridades políticas estrangeiras acompanharam a cerimônia, como os presidentes da Bolívia, Luis Arce, da Colômbia, Iván Duque, do Chile, Sebastián Piñera, além do vice-presidente brasileiro, Hamilton Mourão, do rei da Espanha, Felipe VI, e do ex-presidente boliviano Evo Morales.