Troca de corpos: família não se conforma com erro e diz que vai processar o Estado

Famílias capixabas viveram um verdadeiro drama ao enterrar os entes queridos. O que aconteceu foi que duas mulheres com o nome de Elizabeth morreram, vítimas da covid-19, no mesmo hospital. Elas tiveram os corpos trocados. Uma das famílias fez o enterro duas vezes. Inconformados, eles dizem que vão processar o Estado.

Enterrar alguém é sempre algo que carrega muita tristeza. No domingo (28), a família ainda estava muito abalada. Isso porque três dias antes, eles já tinham ido ao enterro de uma pessoa querida, mas o que eles não sabiam é que corpo tinha sido trocado. Elizabeth de Souza tinha 78 anos. No lugar dela, foi enterrada Elizabeth Conceição Nunes, de 52 anos. As duas morreram com a mesma causa: covid-19. “Muito desesperador e doído para a família toda. Agora estamos aqui para pedir justiça para que outras famílias não sofram o que estamos sofrendo aqui”, disse a sobrinha Marta Souza.

Elizabeth de Souza ficou internada por dois meses, lutando contra o coronavírus. No dia 24, ela morreu. O filho reconheceu o corpo e o enterro aconteceu. Na sexta-feira (26), veio a notícia da troca. “Tinha muitas diferenças entre as duas. Minha tia era negra, tinha um ferimento na perna. A família reconheceu o corpo. De onde veio este erro?”, questiona a Patrícia de Souza, sobrinha da mulher.

A troca aconteceu no hospital Jayme dos Santos Neves, onde as duas Elizabeths estavam internadas e morreram. A história só foi descoberta quando a família da Elizabeth Conceição, de 52 anos, foi reconhecer e liberar o corpo para o sepultamento.

Depois da notícia da troca, começou outro drama: esperar pela exumação do corpo, enterrado no cemitério de Maruípe, em Vitória. No sábado (27), o juiz autorizou e a família confirmou o erro. Finalmente, o corpo foi levado para cemitério São Domingos, na Serra. A exumação que confirmou o erro foi acompanhada por uma equipe do hospital Jayme dos Santos Neves. Psicólogos, advogados, coordenadores prestaram apoio a família.

Por meio de nota a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) reconheceu a falha, pediu desculpas, disse que foi erro humano e que vai apurar os fatos. A família de Elizabeth, de 78 anos, não se conforma e diz que vai processar o Estado. “Acho um descaso. Para mim, isso não é um erro humano, é desumano. Vamos lutar para que outras famílias não passem pelo que estamos passando. É uma situação muito triste.

Informações: Folha Vitória

Leia mais

Pedindo o fim da pandemia, venecianos se reúnem em live

Para pedir o fim da pandemia do novo...

Experiência virtual leva brasileiros a conhecer museus pela internet

Museu Casa Histórica de Alcântara disponibiliza acervo e exposições online – Foto: ...

Hospital Estadual Dr. Jayme realiza solenidade comemorativa pelo 7º aniversário

O auditório do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, ficou cheio na tarde dessa...

Leia também

Nota de Falecimento – ADÃO RODRIGUES LEMES

A prefeitura de Barra de São Francisco divulgou nesta terça-feira (29) uma nota de pesar pelo falecimento do servidor aposentado Adão Rodrigues Lemes. "Com pesar,...

Cão policial encontra droga enterrada em Ecoporanga

Policiais Militares do 11º Batalhão apreenderam drogas enterradas com auxílio do cão policial Jayson. O fato ocorreu na noite desta segunda-feira (28), no município...

Nova Venécia em alerta crítico para incêndios florestais

A Defesa Civil de Nova Venécia recebeu um alerta crítico do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE), para incêndios devido a onda de calor...

INDICADORES: São Paulo registra alta no boi gordo nesta terça (29)

A cotação da arroba do boi gordo começou a terça-feira (29) com alta de 0,02% no preço e o produto é negociado a R$...