TM3 Capital recebe equipe do Bandes durante visita técnica

Compartilhe

Classificada em primeiro lugar na chamada pública para estruturar e gerir o fundo de investimentos exclusivo do Fundo Soberano operado pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), a TM3 Capital recebeu a visita da equipe do Bandes no início de dezembro, na sede da empresa em Curitiba.

A visita técnica teve o propósito de cumprir a última etapa da chamada pública para a seleção da empresa gestora do Fundo de Investimento em Participação (FIP), com recursos provenientes do Fundo Soberano do Espírito Santo. A Due Diligence, ou apenas diligência, é o processo que ocorre após a classificação da proposta da gestora. Nesta fase final, é considerado, entre outros aspectos, a exequibilidade da proposta apresentada, ou seja, a possibilidade da proposta ser executada. A contratação depende do resultado da análise da diligência e da aprovação pelas respectivas alçadas competentes.

Este processo de análise é fundamental por diversos fatores, entre eles, a melhor compreensão do negócio que será fechado, a identificação de eventuais impedimentos para a operação ou a determinação de necessidade de aprovações, além do levantamento de potenciais riscos e passivos, garantias, entre outras questões relevantes para a contratação. Esta é a última etapa técnica antes da empresa assinar o contrato para a gestão dos R$ 250 milhões e de começar a atuar com o FIP Funses 01.

O conhecimento de empesas aportadas por FIPs de gestão da TM3 também fez parte da agenda.

Durante a visita, questões como modelos de contratação de parceiros, modelos de atuação da parceria, informações da gestora no Espírito Santo e equipe-chave foram levantadas pela equipe do Bandes. Além da visita à TM3 Capital, outras três empresas investidas pela gestora, a Velsis Brasil, Logcomex e a Mercafácil também receberam a equipe, com a finalidade de tomar conhecimento das práticas da gestora. Relacionamento, acompanhamento e ações relevantes na empresa serão temas abordados pela equipe, com o intuito de analisar e averiguar eventuais riscos ligados à operação.

“A gestora selecionada é imprescindível em todo o processo. Também é responsável pela orientação das empresas, investimento, aceleração e desinvestimento. Com a estruturação deste FIP, com recursos do Funses, o Estado tem um mecanismo que viabiliza o desenvolvimento de novos negócios no Espírito Santo, contribuindo para a expansão da economia capixaba e gerando oportunidades para as próximas gerações”, reiterou o diretor-presidente do Bandes, Munir Abud de Oliveira, a respeito da atuação da TM3 Capital.

Leia também

André Moura fará show deste sábado na Feira Gastronômica e Artesanal

Em pouco mais de dois meses a Feira Gastronômica e Artesanal, promovida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico,...

LEITE HUMANO: Saúde lança campanha para aumentar em 5% número de doações

Para incentivar o aumento das doações e abastecer os estoques dos bancos de leite humano em todo Brasil,...

Prefeito sanciona Lei de abertura dos Polos Industriais em Nova Venécia

Nesta segunda-feira (16), foi sancionada pelo Prefeito, André Fagundes, a nova Lei de abertura dos Polos Industriais, que...

ConcreationLab: Projeto oferece oportunidade para empreendedores do DF

O laboratório CocreationLab está com seleção aberta para empreendedores que desejam desenvolver os próprios negócios. O programa funciona...

Adolescentes do Projeto Jovem do Futuro de Barra de São Francisco passam por avaliação médica

Os adolescentes que estão participando do Projeto Jovem do Futuro, implantado há dois meses, estão cada vez mais...

Divulgado o resultado do concurso para o Censo 2022, do IBGE

O resultado do processo seletivo simplificado (PSS) do Censo Demográfico 2022, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística...