TM3 Capital recebe equipe do Bandes durante visita técnica

Compartilhe

Classificada em primeiro lugar na chamada pública para estruturar e gerir o fundo de investimentos exclusivo do Fundo Soberano operado pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), a TM3 Capital recebeu a visita da equipe do Bandes no início de dezembro, na sede da empresa em Curitiba.

A visita técnica teve o propósito de cumprir a última etapa da chamada pública para a seleção da empresa gestora do Fundo de Investimento em Participação (FIP), com recursos provenientes do Fundo Soberano do Espírito Santo. A Due Diligence, ou apenas diligência, é o processo que ocorre após a classificação da proposta da gestora. Nesta fase final, é considerado, entre outros aspectos, a exequibilidade da proposta apresentada, ou seja, a possibilidade da proposta ser executada. A contratação depende do resultado da análise da diligência e da aprovação pelas respectivas alçadas competentes.

Este processo de análise é fundamental por diversos fatores, entre eles, a melhor compreensão do negócio que será fechado, a identificação de eventuais impedimentos para a operação ou a determinação de necessidade de aprovações, além do levantamento de potenciais riscos e passivos, garantias, entre outras questões relevantes para a contratação. Esta é a última etapa técnica antes da empresa assinar o contrato para a gestão dos R$ 250 milhões e de começar a atuar com o FIP Funses 01.

O conhecimento de empesas aportadas por FIPs de gestão da TM3 também fez parte da agenda.

Durante a visita, questões como modelos de contratação de parceiros, modelos de atuação da parceria, informações da gestora no Espírito Santo e equipe-chave foram levantadas pela equipe do Bandes. Além da visita à TM3 Capital, outras três empresas investidas pela gestora, a Velsis Brasil, Logcomex e a Mercafácil também receberam a equipe, com a finalidade de tomar conhecimento das práticas da gestora. Relacionamento, acompanhamento e ações relevantes na empresa serão temas abordados pela equipe, com o intuito de analisar e averiguar eventuais riscos ligados à operação.

“A gestora selecionada é imprescindível em todo o processo. Também é responsável pela orientação das empresas, investimento, aceleração e desinvestimento. Com a estruturação deste FIP, com recursos do Funses, o Estado tem um mecanismo que viabiliza o desenvolvimento de novos negócios no Espírito Santo, contribuindo para a expansão da economia capixaba e gerando oportunidades para as próximas gerações”, reiterou o diretor-presidente do Bandes, Munir Abud de Oliveira, a respeito da atuação da TM3 Capital.

Leia também

Homem de 70 anos é preso suspeito de estupro de criança de 9 anos no Espírito Santo

  Um homem de 70 anos foi preso suspeito de estuprar uma menina de 9 anos nesta terça-feira (17),...

DRAWBACK: Vai à sanção MP que prorroga isenção de tributos para exportadoras

O Senado aprovou, nessa quinta-feira (12), a medida provisória (MP) 1079/2021, que prorroga, até 2023, a isenção ou...

Governo Federal lança Operação Apoena no Parque Nacional da Serra do Cipó

Na semana de 16 a 20 de maio, o Governo Federal, por meio do Instituto Brasileiro do Meio...

É possível criar gado de forma sustentável? Projeto na Amazônia mostra que sim

Mais de 40% do gado no Brasil está na região da Amazônia Legal, segundo o Censo Agropecuário de...

Jaguaré realiza campanha “Faça Bonito”, contra abuso e exploração de crianças e adolescentes

  A prefeitura de Jaguaré, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e Segurança Pública, realizou nesta...

Bueiros construídos e ponte ecológica recuperada em Rio do Campo, Ponte Alta e Assentamento Três Corações

Funcionários da secretaria de Transportes e Estradas da prefeitura de Barra de São Francisco, construíram mais três bueiros...