TM3 Capital recebe equipe do Bandes durante visita técnica

Compartilhe

Classificada em primeiro lugar na chamada pública para estruturar e gerir o fundo de investimentos exclusivo do Fundo Soberano operado pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), a TM3 Capital recebeu a visita da equipe do Bandes no início de dezembro, na sede da empresa em Curitiba.

A visita técnica teve o propósito de cumprir a última etapa da chamada pública para a seleção da empresa gestora do Fundo de Investimento em Participação (FIP), com recursos provenientes do Fundo Soberano do Espírito Santo. A Due Diligence, ou apenas diligência, é o processo que ocorre após a classificação da proposta da gestora. Nesta fase final, é considerado, entre outros aspectos, a exequibilidade da proposta apresentada, ou seja, a possibilidade da proposta ser executada. A contratação depende do resultado da análise da diligência e da aprovação pelas respectivas alçadas competentes.

Este processo de análise é fundamental por diversos fatores, entre eles, a melhor compreensão do negócio que será fechado, a identificação de eventuais impedimentos para a operação ou a determinação de necessidade de aprovações, além do levantamento de potenciais riscos e passivos, garantias, entre outras questões relevantes para a contratação. Esta é a última etapa técnica antes da empresa assinar o contrato para a gestão dos R$ 250 milhões e de começar a atuar com o FIP Funses 01.

O conhecimento de empesas aportadas por FIPs de gestão da TM3 também fez parte da agenda.

Durante a visita, questões como modelos de contratação de parceiros, modelos de atuação da parceria, informações da gestora no Espírito Santo e equipe-chave foram levantadas pela equipe do Bandes. Além da visita à TM3 Capital, outras três empresas investidas pela gestora, a Velsis Brasil, Logcomex e a Mercafácil também receberam a equipe, com a finalidade de tomar conhecimento das práticas da gestora. Relacionamento, acompanhamento e ações relevantes na empresa serão temas abordados pela equipe, com o intuito de analisar e averiguar eventuais riscos ligados à operação.

“A gestora selecionada é imprescindível em todo o processo. Também é responsável pela orientação das empresas, investimento, aceleração e desinvestimento. Com a estruturação deste FIP, com recursos do Funses, o Estado tem um mecanismo que viabiliza o desenvolvimento de novos negócios no Espírito Santo, contribuindo para a expansão da economia capixaba e gerando oportunidades para as próximas gerações”, reiterou o diretor-presidente do Bandes, Munir Abud de Oliveira, a respeito da atuação da TM3 Capital.

Leia também

Suspeitos de tráfico são presos pela polícia em Montanha

  Foi realizada na manhã desta sexta-feira (20), uma operação policial que culminou com a prisão de duas pessoas...

ES: criminosos invadem casa e matam homem com mais de 20 tiros

  Um homem de 44 anos foi morto com mais de 20 tiros, na madrugada desta quinta-feira (18), no...

As empresas mais valiosas do Brasil

Segundo levantamento da FinDocs, nos últimos 12 anos apenas uma empresa trocou de posição entre as sete mais valiosas...

Lyon derrota Barcelona em Turim e conquista Liga dos Campeões feminina

O Lyon (França) derrotou o Barcelona (Espanha) por 3 a 1, neste sábado (21) em Turim (Itália), e...

Em 2021, 5 mil pessoas morreram em 64 mil acidentes de carro no Brasil

O número de acidentes e de mortes em rodovias federais cresceu em 2021, na comparação com 2020, interrompendo...

Audiência Pública da pavimentação da ES-320 entre Bara de São Francisco e Mantenópolis deve acontecer na primeira quinzena de junho

A audiência pública para debater os impactos das obras de pavimentação da ES-320 entre Barra de São Francisco...

Ministério da Mulher lança plano de enfrentamento à violência contra crianças

O Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos anunciou hoje (18) o lançamento do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência contra...