TIMIDO IGUAL AO PAI

O meu filho número dois, de nome Eduardo, de alcunha “Dudu”, quando estava com quatro anos era levado para as aulas da educação infantil.

Na sala de aula ele estava pintando alguns desenhos, assim como faziam os outros coleguinhas. A tia conversava com uma menina e esta perguntou se a professora se ela tinha medo de perereca. A resposta foi de que a tia não temia as pererecas, mas achava aquele bicho frio e não pegaria nele.

O Dudu, que parecia não prestar atenção em nada, ocupado com as suas pinturas, levando a cabeça e pergunta:

– de qual perereca vocês estão falando?

– daquele bicho que parece um sapo. Por que da pergunta Eduardo, pois eu só sei da existência da perereca parente do sapo.

– não. E a de vocês?

A professora contou para a mãe do Eduardo que ela saiu da sala de aula para dar uma gargalhada.

 

 

Texto: Creumir Guerra
Creumir Guerra é Promotor de Justiça no Estado do Espírito Santo

Veja mais sobre Creumir Guerra

Leia mais

Leia também