Suspeitos de furar fila de vacinação contra Covid-19 vão receber segunda dose, diz secretário de saúde do Espírito Santo

Nésio Fernantes explicou, em pronunciamento nesta segunda-feira (8), que não pode negar a proteção contra a doença.

Secretário da Saúde do ES, Nésio Fernandes, e subsecretário de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin — Foto: Divulgação/Sesa

Secretário da Saúde do ES, Nésio Fernandes, e subsecretário de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin — Foto: Divulgação/Sesa

Por Any Cometti, G1 ES

Em pronunciamento nesta segunda-feira (8), o secretário da Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes, disse confirmou que os suspeitos de furarem a fila de vacinação contra Covid-19 no estado vão receber a segunda dose.

O secretário de Saúde explicou que o estado não pode negar a proteção contra a doença e, por isso, aqueles que receberam a primeira dose da vacina fora do cronograma de vacinação receberão a segunda dose do imunizante.

“Não podemos permitir que as pessoas não tenham acesso à saúde. Aqueles que foram vacinados indevidamente fora da ordem devem receber a segunda dose dentro do tempo previsto, porque essas pessoas não devem ser privadas de se protegerem contra a doença”, disse o secretário.

Vacinação contra a Covid-19 em Vila Velha, ES — Foto: William Caldeira/Prefeitura de Vila Velha

Vacinação contra a Covid-19 em Vila Velha, ES — Foto: William Caldeira/Prefeitura de Vila Velha

No pronunciamento, Nésio também lembrou que há previsão de fechamento geral no estado na matriz de risco se o governo analisar que está em um pré-colapso hospitalar.

“As medidas extremas de fechamento das atividades econômicas e sociais sempre foram acompanhadas de agendas econômicas e sociais nacionais. No Brasil, não temos essas condições e contextos. Essa medida é prevista na nossa matriz de risco a partir do pré-colapso de rede hospitalar”, enfatizou Nésio.

O subsecretário de estado de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin, também presente no pronunciamento, enfatizou que o Espírito Santo não tem fila de espera para leitos de Covid-19. “Nós não temos fila para internação por falta de leito. Nossa espera de internação é para avaliação do paciente”, apontou.

O subsecretário de estado de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin, informou que o estado está se equipando para que, em meados deste ano, o sequenciamento do genoma do vírus possa ser feito em território capixaba. Isso vai permitir analisar as variantes que circulam no Espírito Santo. De acordo com o subsecretário, isso ainda não é feito.

“Nós ainda não temos confirmação de transmissão comunitária de variantes no estado. Nós temos a perspectiva de, na metade do ano, realizar no estado o sequenciamento genético para identificar qual variante está circulando no momento”, afirmou Reblin.

Leia mais

Leia também