Suspeito de matar companheira a facadas é preso no Espírito Santo

Crime aconteceu no final da noite desta quinta-feira (11) na Serra. Homem se entregou na manhã desta sexta (12).

Débora Guedes e o companheiro Thiago Alvarenga, suspeito do crime

Débora Guedes e o companheiro Thiago Alvarenga, suspeito do crime

O homem de 23 anos suspeito de matar a companheira a facadas na Serra, na Grande Vitória, foi preso na manhã desta sexta-feira (12).

A mulher de 24 anos foi morta no bairro Balneário Carapebus, na noite desta quinta-feira (11).

O companheiro de Débora Guedes Bonfim, identificado como Thiago Alvarenga, foi autuado em flagrante por homicídio qualificado por meio cruel, com impossibilidade de defesa da vítima, e feminicídio. Ele será encaminhado ao Centro de Triagem de Viana.

O crime aconteceu pouco antes da meia-noite. Segundo as informações da polícia, vizinhos de Débora acionaram a Polícia Militar após ouvirem gritos vindos da casa onde ela morava com o companheiro e dois filhos. As crianças, de cinco e de dois anos, são fruto de um relacionamento anterior de Débora.

Após a denúncia, os policiais foram até o local. Ao chegarem, já encontraram a mulher morta dentro da residência. Ela tinha marcas de golpes de faca na região do pescoço. De acordo com os policiais que atenderam à ocorrência, os filhos da vítima foram encontrados chorando ao lado do corpo da mãe.

Um vizinho do casal, que preferiu não se identificar, disse que estava dormindo quando ouviu os gritos de Débora e presenciou as agressões de Thiago contra a mulher. Segundo ele, momentos depois, o próprio Thiago confessou tê-la matado.

“Eu ouvi dois gritos de socorro e quando desci para ajudar ele gritou para mim ‘não precisa descer que eu já matei ela, ela está morta. É só ligar para a polícia'”, lembrou o vizinho.

O homem contou que todos estão abalados com a situação.

“Até agora estrou tremendo, não consegui dormir essa noite. Fui limpar a casa, o sangue que estava lá”, disse.

Parentes de Débora, que também preferiram não se identificar, contaram que ela e Thiago haviam se mudado de Vitória para a Serra há cerca de dois meses.

O crime é investigado pela Polícia Civil.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), entre o início de janeiro e o final de fevereiro deste ano, foram registrados 15 casos de assassinatos de mulheres no Espírito Santo, sendo que, deste total, quatro haviam sido classificados como feminicídios.

 

Leia mais

Leia também