Suspeito de abusar sexualmente da sobrinha e filmar o crime é preso em operação da PF em Guarapari

Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Um homem suspeito de abusar sexualmente da sobrinha de 11 anos e filmar o crime foi preso na manhã desta terça-feira (9) em uma operação da Polícia Federal em Guarapari, no Espírito Santo.

Segundo a PF, os agentes cumpriram, na casa do suspeito, dois mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal de Vitória. O nome do preso não foi divulgado pela polícia.

Ainda de acordo com a polícia, as investigações começaram no Núcleo de Repressão aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil pela Internet (Nurcop), vinculado à Divisão de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), em Brasília.

A PF informou que o núcleo produziu um relatório a partir de informações e fotos constantes no banco de dados International Child Sexual Exploitation Database (ICSE), gerenciado pela sede da Interpol e que é alimentado por seus países membros com imagens e vídeos de abuso sexual infantojuvenil distribuídos on-line e materiais apreendidos por suas polícias.

Segundo a PF, a operação foi batizada como “Dotted Roses” pois o homem filmou o abuso sexual da menina em uma cama com lençóis com pontos e rosas.

“As apurações avançaram por meio do grupo de combate a crimes cibernéticos vinculado à Delegacia de Crimes Fazendários da Polícia Federal do Espírito Santo, logrando identificar a vítima e o suspeito, bem como o local de produção do vídeo do abuso (residência do suspeito)”, divulgou a PF.

Durante as buscas na residência do suspeito, segundo a polícia, foi encontrado material contendo imagens com pornografia e exploração sexual de crianças no celular dele, razão pela qual foi preso em flagrante pela posse dos arquivos.

Segundo a PF, cobertor, lençol e fronha que aparecem nos vídeos do abuso foram encontrados na casa do preso — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Além disso, ainda de acordo com a PF, foram encontrados no quarto do suspeito o cobertor, o lençol e a fronha que aparecem nos vídeos de abuso da menina.

A polícia divulgou que o investigado responderá pelos crimes de estupro de vulnerável, produção de vídeo contendo pornografia infantil e armazenamento e compartilhamento do material. Se condenado, as penas mínimas para os crimes somam 16 anos de prisão.

Informações: G1

Leia mais

Leia também