ES: suplente de vereador é suspeito de ser mandante de sequestro, diz delegado

Josué Celirio, suposto mandante do crime

O delegado responsável pelo caso, Cláudio Rodrigues Araújo, confirmou que o suplente do vereador Antônio Marcos Bonifácio de Souza (Cidadania) é suspeito de ser o mandante do sequestro do parlamentar. Josué Celirio teria planejado o crime para obrigar Antônio da Saúde a renunciar ao cargo de vereador da cidade. Nas últimas eleições, o suspeito teve 303 votos e ficou na suplência de Antônio, que foi eleito com 382 votos. “Ele coordenou e planejou essa extorsão mediante sequestro”, afirmou o delegado. Josué teve prisão preventiva decretada.

Nessa quarta-feira (3), a Polícia Civil de Brejetuba, com apoio das equipes de Muniz Freire e Domingos Martins, realizou diligências no município, mas o suspeito não foi encontrado. Segundo a polícia, quatro pessoas tem envolvimento no crime. Um deles, Ronivon Custodio Patrocínio, de 42 anos, foi detido no dia 25 de fevereiro, no município. Ele tinha um mandado de prisão em aberto por receptação. Ronivon conhecia Antônio, e é suspeito de ter oferecido carona ao vereador, na manhã do dia 17 de fevereiro, para sequestrá-lo.

A polícia também já identificou que um homem chamado Ricardo Rodrigues, de Mutum, Minas Gerais, foi quem entrou no carro logo depois de Antônio, e fez várias ameaças para que o parlamentar renunciasse ao cargo na Câmara. Diligências também foram realizadas em Mutum, mas o suspeito não foi localizado. O quarto participantes do sequestro ainda não foi identificado. Segundo o delegado, o parlamentar ficou cerca de cinco horas nas mãos dos suspeitos e, depois de assinar um documento renunciando ao posto de vereador, foi deixado na região de Viana.

Antônio da Saúde participou da última sessão na Câmara de Brejetuba, realizada nesta semana, de forma online. As sessões na região ocorrem a cada duas semanas. A Secretaria de Segurança concedeu escolta ao vereador.

O deputado Hudson Leal (Republicanos) ajudou o parlamentar a buscar ajuda depois do sequestro. Ele se manifestou na sessão da última segunda-feira (1º), na Assembleia Legislativa. “Quero deixar registrado os meus sinceros agradecimentos a toda população de Brejetuba que se solidarizou com o fato, ao Ministério Público e a Dra. Andreia – promotora – que prontamente ouviu o Vereador, ao delegados Dr. Cláudio que prendeu o pistoleiro, ao nosso secretário de segurança Alexandre Ramalho que concedeu proteção ao vereador e família e ao nosso governador Renato Casagrande que também se prontificou a auxiliar na resolução do caso”.

Entenda o caso

Antônio da Saúde contou à polícia que foi sequestrado no dia 17 de fevereiro, no município. O caso teria ocorrido enquanto ele se dirigia à Câmara para uma reunião. Ele relatou que foi levado por dois homens para uma região rural e, sob ameaças, obrigado a assinar um documento renunciando ao cargo de vereador. Depois, foi deixado em Viana.

“Foi uma grande tortura psicológica, ele estava com arma apontada pra cabeça o tempo todo. Ainda tiveram a audácia de mandar ele ligar pra Câmara e confirmar que enviaria alguém para entregar o documento no local comunicando a renúncia”, informou fonte que não quis se identificar.

Informações: Folha Vitória

Leia mais

Leia também